29 janeiro 2011

RESOLUÇÕES PARA 2011



RESOLUÇÃO NÚMERO 01

NÃO VOU AMAR EM 2011
Não vou conversar com mulheres. Não vou dar bom dia para mulheres. Não vou nem fazer compras em lojas onde têm mulheres vendedoras. Não farei novas amizades. Não adicionarei novas mulheres no Orkut. Não conversarei com mulheres no MSN. Não farei sexo. Não beijarei. Nem no rosto. Não vou paquerar. Nem ficar. Nem namorar. Não vou nem pensar em mulheres.

Em 2011 quero me amar. Talvez assim eu possa encontrar alguém que me entenda um pouco mais, que goste de mim da forma que eu me ame, e, me amando bastante, talvez eu consiga amar alguém. De forma intensa. De forma recíproca.




RESOLUÇÃO NÚMERO 02

VIAJAREI ALGUMAS VEZES

Farei algumas viagens. Uma que acontecerá com certeza é para o Rio de Janeiro, em setembro, pro Rock in Rio. Quero aproveitar mais meus finais de semana e as promoções das empresas aéreas. Com algumas poucas faltas quero passar alguns finais de semana em algumas capitais do Nordeste.

Recife, Salvador, Natal, João Pessoa, Maceió. Que ordem? Aleatoriamente eu resolvo...

RESOLUÇÃO NÚMERO 03

DEIXAR O CORPO EM FORMA

Chega de protelar! Vou malhar, correr, andar, fazer exercícios, ficar em forma. Vou melhorar a musculação. Não vou virar o Incrível Hulk, mas quero ter músculos, pelo menos. E quero correr dez quilômetros sem parar. Este ano promete.

RESOLUÇÃO NÚMERO 04

FICAR TOTALMENTE ZEN

Não vou me incomodar com nada: nem com barulho, nem com violência, nem com depressão, nem com solidão, nem com falta de dinheiro, nem com nada.

RESOLUÇÃO NÚMERO 05

MUDAR ESTILOS

Deixar cabelo crescer. Mudar roupas. Usar mais camiseta branca e jeans. Ter mais luxos com roupas. Cuidar mais de corpo, barbas, pele, cabelos.

RESOLUÇÃO NÚMERO 06

APROVEITAR MELHOR OS HORÁRIOS

Dormir sempre depois de meia noite, mesmo em dias úteis. Usar o tempo para ler, assistir, usar internet, sair, viver.

RESOLUÇÃO NÚMERO 07

APRENDER MÚSICA

Aprender a tocar violão (ou flauta) de forma profissional. A ideia é virar um artista andarilho. Sair pelo mundo mas sabendo que dá pra ganhar um prato de comida cantando (ou tocando).

RESOLUÇÃO NÚMERO 08

MELHORAR VIDA VIRTUAL

Manter internet rápida. Atualizar blog, orkut, facebook. Divulgar livros e poesias.

RESOLUÇÃO NÚMERO 09

ESCREVER UM LIVRO

Tenho algumas idéias na cabeça, mas não coloco no papel. Este ano eu escreverei mais um livro. Acho que terá a participação de Renato Russo. E de Raul Seixas, de Elis Regina, de Cazuza, de Chacrinha...

RESOLUÇÃO NÚMERO 10

MELHORAR CULTURA

Vou assistir a três filmes por semana, no mínimo. Vou dar preferência aos "1001 filmes que você precisa assistir antes de morrer". Vou, também, ler um livro (no mínimo) por mês. Quero participar mais da vida cultural de Limeira, minha cidade do momento. Quero ver mais teatro.

RESOLUÇÃO NÚMERO 11

PASSAR EM UM CONCURSO FEDERAL

Vou estudar (ou fazer cursinho) para passar num concurso a nível federal. Não só pelo dinheiro, mas pelas possibilidades de rodar o Brasil, como já fiz quando era funcionário do Banco do Brasil. Três filhos: um da Bahia, um de Minas Gerais, um de Pernambuco.

RESOLUÇÃO NÚMERO 12

PUBLICAR O FAROESTE CABOCLO - O LIVRO

Mandar cópias dos livros para as editoras buscando um patrocínio. Iniciar campanhas de divulgação.


28 janeiro 2011

INSANIDADE

Imperfeito
Perfeitamente imperfeito
(não sendo o único)
Procuro respostas
Das perguntas que ouço
Dentro de mim...

Por que sou louco?
Quem me fez louco?
Que prazer há nisso?

Não tenho as respostas.
Mas tenho as perguntas...

E tenho desculpas:
Convivo com loucos
Com poetas, pintores, cantores,
Com pessoas que se arrepiam ao ver uma lágrima
Ao ouvir um pássaro
Ao cair a chuva...

Entre eles eu não sou louco
(acredita?)
Eu sou normal
Eu sou igual...

Quando estou com meus amigos
(loucos?)
Eu não sou louco
Eu sou mais um
Em perfeita igualdade insana
A todos...

E agora?
Ainda tem dúvidas?
Eu não tenho mais...

JORGE LEITE DE SIQUEIRA

MENDIGO DE AMOR

Quero um beijo!
Por favor
Me dê um beijo!
Apenas um
Nos lábios
No rosto...

Quero um abraço!
Um sorriso
Apenas um olhar...

Estou carente...

Nesse beco
De óculos escuros
Muleta nos braços
Cadeira de rodas
Eu imploro seu carinho...

Me dê um beijo!
Quem sabe: atenção...

Estou me cansando de mendigar...

JORGE LEITE DE SIQUEIRA


JEITOS DE AMAR

Levei flores para você
Fiz declarações românticas
Escrevi belos poemas...

Você nem me olhou...

Gritei seu nome nas praças
Escrevi bilhete aos passarinhos
Falei baixinho: eu te amo...

Você nem prestou atenção...

Eu fui embora
Eu voltei
Eu não saí do lugar...

Eu fiz chantagens
Eu chorei
Eu gemi ao deitar...

E você? Nada de me notar...

Eu cansei
Desisti
Vou te esquecer.
Quem sabe assim você sinta minha falta...

E perceba que eu existo...

JORGE LEITE DE SIQUEIRA

23 janeiro 2011



O que vejo nesta tela? O que procuro nesta rede? O que faço aqui?
As perguntas são mais frequentes, as respostas, mais escassas. As dúvidas se amontoam e mexem com meus pensamentos. Minha maturidade demorou. Chegou depois dos quarenta. Às vezes acho que ainda não chegou. No entanto, tenho certeza que as perguntas representam crescimento.
Será que terei as respostas um dia? Será que alguém me responderá?
Às vezes sinto-me gritando num precipício onde o que escuto são ecos de minha própria voz.

22 janeiro 2011

ÂNSIA - VINÍCIUS DE MORAES

Na treva que se fez em torno a mim
Eu vi a carne.
Eu senti a carne que me afogava o peito
E me trazia à boca o beijo maldito.
Eu gritei.
De horror eu gritei que a perdição me possuía a alma
E ninguém me atendeu.
Eu me debati em ânsias impuras
A treva ficou rubra em torno a mim
E eu caí!

As horas longas passaram.
O pavor da morte me possuiu.
No vazio interior ouvi gritos lúgubres
Mas a boca beijada não respondeu aos gritos.

Tudo quebrou na prostração.

O movimento da treva cessou ante mim.

A carne fugiu
Desapareceu devagar, sombria, indistinta
Mas na boca ficou o beijo morto.
A carne desapareceu na treva
E eu senti que desaparecia na dor
Que eu tinha a dor em mim como tivera a carne
Na violência da posse.

Olhos que olharam a carne
Por que chorais?
Chorais talvez a carne que foi
Ou chorais a carne que jamais voltará?
Lábios que beijaram a carne
Por que tremeis?
Não vos bastou o afago de outros lábios
Tremeis pelo prazer que eles trouxeram
Ou tremeis no balbucio da oração?
Carne que possui a carne
Onde o frio?
Lá fora a noite é quente e o vento é tépido
Gritam luxúria nesse vento
Onde o frio?

Pela noite quente eu caminhei...
Caminhei sem rumo, para o ruído longínquo
Que eu ouvia, do mar.
Caminhei talvez para a carne
Que vira fugir de mim.

No desespero das árvores paradas busquei consolação
E no silêncio das folhas que caíam senti o ódio
Nos ruídos do mar ouvi o grito de revolta
E de pavor fugi.

Nada mais existe para mim
Só talvez tu, Senhor.
Mas eu sinto em mim o aniquilamento...

Dá-me apenas a aurora, Senhor
Já que eu não poderei jamais ver a luz do dia.

VINÍCIUS DE MORAES

Longas e delongas

O desespero que me toma tem um nome: paz (falta de). O desespero que me toma é resultado de meus atos, de meus atrasos, de meus fracassos. O desespero que me toma nada mais é do que o que sou: nada. Chamaram-me de "barco a motor que cisma em usar os remos". Sei que sou. O que fazer? Nada é como gostamos que seja. Tudo é o que tem de ser. E no meu pessimismo não acredito no futuro, no sucesso, no meu sucesso. O que busco? Uma praia, uma casa minúscula, condições financeiras de viver do que escrevo. Mas, (maldito pessimismo) será que o que escrevo vale alguma coisa?


Filosofando com a (in)consciência

São Paulo. 22 de janeiro, sol forte, mente fraca, coração apertado. Mais uma mudança. Dessa vez estou levando uma alça. Não, não é uma muleta. É uma

21 janeiro 2011

POETISAR





FAMÍLIA

NÓS, POETAS, SOMOS TODOS IGUAIS

Você reclama de sua vida?
O que tem de errado?
Podia ser a minha, pense bem!
O que a minha tem de errado?
Tudo!
Afinal, nasci poeta,
E o que são os poetas?
Um bando de fracassados:
Acabam pobres
Acabam doentes
Acabam suicidas
Acabam com cirrose...

Qual será o meu fim?
Como acabarei?
Tenho sintomas de tantos poetas:
Pobre
Bêbedo
Hipocondríaco...

Quando será o meu fim?
Será o começo do mito?
E se eu adiantar o fim?
Veneno ou revólver?
Não!
Não estou nesse nível...

Isso é para os fortes...

JORGE LEITE DE SIQUEIRA

RECOMEÇO (NOVO...)


PROMETO!
VOU RECOMEÇAR!
PROMETO A MIM MESMO: RECOMEÇAR!
E VOU FAZER DIFERENTE DESSA VEZ...

VOCÊ ME CONHECEU?
VOCÊ ME BEIJOU?
VOCÊ ME USOU?
PARABÉNS!
VOCÊ TEVE A SUA CHANCE...

AGORA É A MINHA VEZ!
AGORA EU SEREI FAMOSO!
AGORA EU SEREI PROCURADO!
AGORA NÃO SEREI DE NINGUÉM!
EU SEREI DE TODO O MUNDO...

VOU RECOMEÇAR!
POR CIMA...

AGORA
SE VOCÊ QUISER (APENAS) CONVERSAR COMIGO
PEGUE A FILA...

AUTOR: JORGE LEITE DE SIQUEIRA

20 janeiro 2011

VERBOS (E DESCULPAS)

DESCULPE-ME
POR NÃO TER TE FEITO FELIZ
POR NÃO TER TE CONQUISTADO
POR NÃO TER TE CATIVADO
POR NÃO TER TE ENCANTADO...

DESCULPE-ME
POR NÃO SER TÃO IMPORTANTE
POR NÃO SER TÃO FORMIDÁVEL
POR NÃO SER TÃO AGRADÁVEL...

DESCULPE-ME...

EU SÓ QUERIA QUE VOCÊ ME AMASSE
EU SÓ QUERIA QUE VOCÊ APENAS GOSTASSE DE MIM
EU SÓ QUERIA QUE VOCÊ SE APAIXONASSE
EU QUERIA QUE VOCÊ ME ADORASSE...

PERDOE-ME POR NÃO TER TE DADO ASAS PARA VOAR COMIGO
OU CORAGEM PARA ENFRENTAR SEUS TRAUMAS E ME SEGUIR
OU CRIATIVIDADE PARA BUSCARMOS JUNTOS NOSSOS SONHOS...

PERDOE-ME POR NÃO TE FAZER SENTIR SAUDADES DE MIM
PERDOE-ME POR NÃO TE FAZER ME QUERER PERDIDAMENTE
PERDOE-ME POR NÃO TE FAZER INVENTAR HISTÓRIAS LOUCAS PARA FICARMOS JUNTOS...

PERDOE-ME
POR NÃO TE FAZER ME DESEJAR INTENSAMENTE
E CRIAR SITUAÇÕES
PARA EXTRAVAGÂNCIAS SENSUAIS...

PERDOE-ME POR NÃO TE FAZER SOFRER DE AMOR...

NÃO ME DESCULPO PELO QUE SINTO
PELO AMOR QUE TENHO
PELOS SONHOS QUE FIZ
PELOS PLANOS QUE MONTEI
PELAS LOUCURAS QUE COMETI...

FARIA TUDO NOVAMENTE...

NÃO ME DESCULPO PELO QUE FALEI
PELO QUE PENSEI
PELO QUE OUVIR
PELO QUE SENTI...

FARIA TUDO NOVAMENTE...

NÃO ME DESCULPO PELO QUE FIZ
OU PELO QUE EU SOU...

NÃO ME ARREPENDO DE NADA...

PEÇO APENAS PERDÃO
PELA FALTA DE RECIPROCIDADE DE SENTIMENTOS...

AUTOR: JORGE LEITE DE SIQUEIRA

POESIA 2049 - ANJOS, DÊEM-ME UM SINAL

Queria saber voar
E encontrar os anjos
Para que me explicassem
Quanto tempo ainda ficarei aqui...

Quanto tempo???
Ainda não paguei o castigo???
Qual foi o meu pecado???

Bahia?
Pernambuco?
Ceará?
São Paulo?
Onde foi que eu errei?

Anjos, deixem-me recomeçar!
Prometo que farei melhor dessa vez
Juro que eu os ouvirei mais...

Dêem-me um sinal...

JORGE LEITE DE SIQUEIRA

POESIA 2047 - EM BUSCA DE NADA

Andando por ruas repletas de almas penadas
Sigo
Em busca de nada
Que é o que existe...

Andando de mãos dadas com almas penadas
Que vagam comigo
E me contam histórias
Quando rio
Achando incríveis...

Eles riem das minhas também...

Ainda busco
Nada
(é o que existe)
Mas eles dizem para eu desistir
Pois eles (almas penadas) ainda não encontraram
Nem tudo
Muito menos nada...

Eu rio, sorrio, gargalho,
Pois os entendo
E sei porque não me entendem
Ninguém me entende
Que vivo
Em busca de nada
Que não existe...

JORGE LEITE DE SIQUEIRA

POESIA 2046 - TÃO LONGE DELA

Olho para o céu
Procuro Deus
Encontro pingos de chuva
Que molha meus olhos
E descem salgados
Pelo rosto
Pelo resto
De mim
De meu corpo
Sem alma
Entregue ao Nordeste
Ao sol
Às praias...

Olho para o céu
Procuro Deus
Quero sanar minhas dúvidas
Que são tantas
E tão confusas...

O que fiz?
Por que estou aqui?
Tão longe dela...

JORGE LEITE DE SIQUEIRA

15 janeiro 2011

POESIA 2044 - NÃO QUERO MAIS SER QUEM EU SOU

Cansei de mim!
Não gosto mais de mim!
Sou um cara ridículo
Um cara limitado
Companhia desaconselhável...

Cansei de mim...

Entendo você,
Acredite! Eu te entendo!
Um dia você iria se cansar de mim...

Um cara ridículo e desaconselhável...

JORGE LEITE DE SIQUEIRA

POESIA 2043 - TUDO ACONTECE NO TEMPO CERTO

Tempo certo?
Besteira!
Quem marcou o tempo?
Onde está escrito?

Não corra, não!
Não corra
E não terá nada:
Nem bens
Nem um amor que possa chamar de seu...

Tempo certo?
Baboseiras religiosas...

JORGE LEITE DE SIQUEIRA

POESIA 2021 - EU AMO TUDO EM VOCÊ

Eu amo o cheiro de seu corpo
o cheiro de sua boca
o cheiro de seus cabelos
o cheiro de seu cheiro...

Eu amo o gosto de seu pescoço
o gosto de suas costas
o gosto de sua saliva
o gosto de seu gosto...

Eu amo olhar os seus cabelos
olhar os seus seios
olhar as suas curvas
olhar o seu olhar...

Eu amo sentir o seu corpo
sentir sua respiração quando dorme
sentir sua mão na minha
sentir sua alma me visitando...

Eu amo dividir esta vida contigo...

Mas, seja rápida!
Quero dividir a vida
E não minha morte...

JORGE LEITE DE SIQUEIRA

The trashmaster (nouvelle version nouvelle voix-off !)
Enviado por murakawa. - Clique para mais vídeos sobre games em console e computador.

POESIA 2045 - CÁPSULAS

Deveríamos viver em cápsulas:
deitados,
nada faríamos...

Pensávamos: digitava-se;
Pensávamos: educava-se;
Pensávamos: vivia-se...

Nada de acidentes
Nada de viagens
Nada de riscos...

Nada de relacionamentos pessoais...

Sem contatos profissionais
Sem contatos sentimentais
Sem contatos sociais...

Uma maravilha!
Solidão sadia!
Isolamento benéfico...

Ah, meu Deus, dê-me as cápsulas...

JORGE LEITE DE SIQUEIRA

POESIA 2042 - ESTA NOITE EU SONHEI

Num escuro
Te vi
Te toquei
Te senti...

Tenho certeza de que era você...

Mas, você fugiu.
Não quis me olhar
Não quis me tocar
Não quis te tocasse...

Fugiu de mim.
Para sempre...

Quando acordei não te senti mais...

JORGE LEITE DE SIQUEIRA

POESIA 2040 - PAI

Há vinte anos você se foi.
Tão novo...

Tenho quase a idade que você tinha quando morreu...

Tão novo;
Tão fraco;
Sou tão diferente de você...

Eu me lembro de suas batalhas
- não sei como você as vencia -
Eu me lembro de seus conselhos simples e honestos
- um sábio sem estudos -
Eu me lembro de você...

Se faltou o beijo
Sobrou o exemplo...

Hoje sua dimensão é outra.
As saudades estão comigo
Dentro de mim...

Em meu coração você continua vivo...

JORGE LEITE DE SIQUEIRA

POESIA 2039 - CADEIRA DE RODAS

Quanto custa uma cadeira de rodas?
Preciso de uma...

Os joelhos doem
Os cotovelos doem
As pernas doem
Os olhos doem...

Até os cabelos doem...

Idade?
Idosidade...

JORGE LEITE DE SIQUEIRA

09 janeiro 2011

MORENA

É, morena, tá tudo bem
Sereno é quem tem
A paz de estar em par com Deus
Pode rir agora
Que o fio da maldade se enrola
Pra nós, todo o amor do mundo
Pra eles, o outro lado
Eu digo mal me quer
Ninguém escapa o peso de viver assim
Ser assim, eu não
Prefiro assim com você
Juntinho, sem caber de imaginar
Até o fim raiar
Pra nós, todo o amor do mundo
Pra eles, o outro lado
Eu digo mal me quer
Ninguém escapa o peso de viver assim
Ser assim, eu não
Prefiro assim com você
Juntinho, sem caber de imaginar
Até o fim raiar

LOS HERMANOS

MORENA NATIVA

Morena nativa, desde de criança
Passou a infância na beira do mar
Morena nativa, pitanga africana (ô iô iô)
Teu mel na minha boca vai me dominar
Teu mel na minha boca vai me dominar
Teu mel na minha boca vai me dominar
Teu mel na minha boca vai me dominar
Morena nativa, quando ela dança
Expõe seus segredos na beira do mar (na beira do mar, iê iê)
Um artesanato, sonho de criança (ô iô iô)
Morena cresceu e já quer namorar
Morena aiá, teu mel na minha boca vai me dominar
Morena aiá, teu mel na minha boca vai me dominar
Morena aiá, teu mel na minha boca vai me dominar
Morena aiá, teu mel na minha boca vai me dominar
Morena nativa, quando ela roda
Solta o seu perfume na beira do mar (na beira do mar, iê iê)
Ah como eu queria dizer pra essa preta (ô iô iô)
Teu mel na minha boca me faz sonhar
Morena aiá, teu mel na minha boca vai me dominar
Morena aiá, teu mel na minha boca vai me dominar
Morena aiá, teu mel na minha boca vai me dominar
Morena aiá, teu mel na minha boca vai me dominar
Teu mel na minha boca vai me dominar
Morena aiá, teu mel na minha boca vai me dominar
Morena aiá, teu mel na minha boca vai me dominar
Morena aiá, teu mel na minha boca vai me dominar

ARMANDINHO

MORENA DA PRAIA

Não sei como aconteceu, foi apenas um olhar
Que me deixou atordoado e sem saber o que pensar
Meio tímido e sem jeito, ela se aproximou
Abriu o seu sorriso lindo, que me hipnotizou
E foi assim que eu descobri, o que é uma paixão
Foi uma louca que entrou na minha vida
E roubou meu coração
Morena da praia, do reggae, do rock, do funk e do samba
Teu corpo, tua boca, teu beijo, teu jeito... meu Deus
Você é quem manda, você é quem manda
Tudo foi acontecendo, com magia e com calor
E a lua brindou com seu brilho, iluminando o nosso amor
Se tudo isso for um sonho, eu não quero acordar mais
Vou dormir eternamente e poder te amar pra sempre
E foi assim que eu descobri, o que é uma paixão
Foi uma louca que entrou na minha vida
E raptou meu coração

INIMIGOS DA HP

A TUA PRESENÇA, MORENA

A tua presença
Entra pelos sete buracos da minha cabeça
A tua presença
Pelos olhos, boca, narinas e orelhas
A tua presença
Paralisa meu momento em que tudo começa
A tua presença
Desintegra e atualiza a minha presença
A tua presença
Envolve meu tronco, meus braços e minhas pernas
A tua presença
É branca verde, vermelha azul e amarela
A tua presença
É negra, negra, negra
Negra, negra, negra
Negra, negra, negra
A tua presença
Transborda pelas portas e pelas janelas
A tua presença
Silencia os automóveis e as motocicletas
A tua presença
Se espalha no campo derrubando as cercas
A tua presença
É tudo que se come, tudo que se reza
A tua presença
Coagula o jorro da noite sangrenta
A tua presença é a coisa mais bonita em toda a natureza
A tua presença
Mantém sempre teso o arco da promessa
A tua presença
Morena, morena, morena
Morena, morena, morena
Morena

CAETANO VELOSO

08 janeiro 2011

ESPERE POR MIM, MORENA

Tire um sono na rede
Deixa a porta encostada
Que o vento da madrugada
Já me leva pra você
E antes de acontecer
O sol a barra vir quebrar
Eu estarei nos seus braços para nunca mais voar
[refrão]
Espere por mim, morena
Espere que eu chego já
O amor por você morena
Faz a saudade apressar
E nas noites de frio serei o teu cobertor
Quentarei o teu corpo
Com o meu calor
Ô minha santa te juro
Juro por Deus nosso senhor
Nunca mais minha morena
Vou fugir do seu amor
[refrão 2x]
Espere por mim, morena
Espere que eu chego já
O amor por você morena
Faz a saudade apressar
Tire um sono na rede
Deixa a porta encostada
Que o vento da madrugada
Já me leva pra você
E antes de acontecer
O sol a barra vir quebrar
Eu estarei nos seus braços para nunca mais voar
[refrão 2x]
Espere por mim, morena
Espere que eu chego já
O amor por você morena
Faz a saudade apressar

NATIRUTS - GONZAGUINHA

ESPERE POR MIM, MORENA

Espere por mim, morena,
Espere que eu chego já
O amor por você morena
Faz a saudade me apressar.
Espere por mim, morena,
Espere que eu chego já
O amor por você, morena,
Faz a saudade me apressar.
Tire um sono na rede
Deixa a porta encostada
Que o vento da madrugada
Já me leva pra você.
E antes de acontecer o Sol
A barra vir quebrar
Estarei nos teus braços
Para nunca mais voar.
E nas noites de frio
Serei o teu cobertor,
Quentarei o teu corpo
Com meu calor
Ah, minha santa, te juro
Por Deus Nosso Senhor,
Nunca mais, minha morena,
Vou fugir do teu amor.
Espere por mim, morena,
Espere que eu chego já
O amor por você, morena,
Faz a saudade me apressar.
Espere por mim, morena,
Espere que eu chego já
O amor por você, morena...

GONZAGUINHA

MORENA DOS OLHOS DÁGUA

Morena, dos olhos d'água,
Tira os seus olhos do mar.
Vem ver que a vida ainda vale
O sorriso que eu tenho
Pra lhe dar.
Descansa um meu pobre peito
Que jamais enfrenta o mar,
Mas que tem abraço estreito, morena,
Com jeito de lhe agradar.
Vem ouvir lindas histórias
Que por seu amor sonhei.
Vem saber quantas vitórias, morena,
Por mares que só eu sei.
Morena, dos olhos d'água,
Tira os seus olhos do mar.
Vem ver que a vida ainda vale
O sorriso que eu tenho
Pra lhe dar.
Seu homem foi-se embora,
Prometendo voltar já.
Mas as ondas não tem hora, morena,
De partir ou de voltar.
Passa a vela e vai-se embora
Passa o tempo e vai também.
Mas meu canto 'inda lhe implora, morena,
Agora, morena, vem.
Morena, dos olhos d'água,
Tira os seus olhos do mar.
Vem ver que a vida ainda vale
O sorriso que eu tenho
Pra lhe dar.

CHICO BUARQUE

MORENA TROPICANA

Da manga rosa
Quero gosto e o sumo
Melão maduro, sapoti juá
Jaboticaba teu olhar noturno
Beijo travoso de umbú cajá...
Pele macia
Ai! carne de cajú
Saliva dôce
Dôce mel
Mel de uruçú...
Linda morena
Fruta de vez temporana
Caldo de cana caiana
Vem me desfrutar
Linda morena
Fruta de vez temporana
Caldo de cana caiana
Vou te desfrutar...
Morena Tropicana
Eu quero teu sabor
Ai, ai, ioiô, ioiô...(2x)
Da manga rosa
Quero gosto e o sumo
Melão maduro, sapoti juá
Jaboticaba teu olhar noturno
Beijo travoso de umbú cajá...
Pele macia
Ai! carne de cajú
Saliva dôce
Dôce mel
Mel de uruçú...
Linda morena
Fruta de vez temporana
Caldo de cana caiana
Vou te desfrutar
Linda morena
Fruta de vez temporana
Caldo de cana caiana
Vem me desfrutar...
Morena Tropicana
Eu quero teu sabor
Ai, ai, ioiô, ioiô...(2x)
Morena Tropicana
Eu quero teu sabor
Ai, ai, ioiô, ioiô...(2x)
Da manga rosa
Quero gosto e o sumo
Melão maduro, sapoti juá
Jaboticaba teu olhar noturno
Beijo travoso de umbú cajá...
Pele macia
Ai! carne de cajú
Saliva dôce
Dôce mel
Mel de uruçú...
Linda morena
Fruta de vez temporana
Caldo de cana caiana
Vou te desfrutar
Linda morena
Fruta de vez temporana
Caldo de cana caiana
Vem me desfrutar...
Morena Tropicana
Eu quero teu sabor
Ai, ai, ioiô, ioiô...(2x)
Morena Tropicana!...

ALCEU VALENÇA

HAICAIS DE QUINTANA

Diário de Viagem
O poeta foi visto por um rio,
por uma árvore,
por uma estrada...

Verão
Quando os sapato ringem,
- quem diria?
São os teus pés que estão cantando!

Os Grilos
Eles cantam a noite inteira!
São sabias?
Os gripos são os poetas mortos...

S.O.S.
O poema é uma garrafa de náufrago jogada ao mar.
Quem a encontra
Salva-se a si mesmo...

Arte Poética
Esses poetas que tudo dizem
Nada conseguem dizer:
Estão fazendo apenas relatórios...

MÁRIO QUINTANA

A VOLTA DA MULHER MORENA

Meus amigos, meus irmãos, cegai os olhos da mulher morena
Que os olhos da mulher morena estão me envolvendo
E estão me despertando de noite.
Meus amigos, meus irmãos, cortai os lábios da mulher morena
Eles são maduros e úmidos e inquietos
E sabem tirar a volúpia de todos os frios.
Meus amigos, meus irmãos, e vós que amais a poesia da minha alma
Cortai os peitos da mulher morena
Que os peitos da mulher morena sufocam o meu sono
E trazem cores tristes para os meus olhos.
Jovem camponesa que me namoras quando eu passo nas tardes
Traze-me para o contato casto de tuas vestes
Salva-me dos braços da mulher morena
Eles são lassos, ficam estendidos imóveis ao longo de mim
São como raízes recendendo resina fresca
São como dois silêncios que me paralisam.
Aventureira do Rio da Vida, compra o meu corpo da mulher morena
Livra-me do seu ventre como a campina matinal
Livra-me do seu dorso como a água escorrendo fria.
Branca avozinha dos caminhos, reza para ir embora a mulher morena
Reza para murcharem as pernas da mulher morena
Reza para a velhice roer dentro da mulher morena
Que a mulher morena está encurvando os meus ombros
E está trazendo tosse má para o meu peito.
Meus amigos, meus irmãos, e vós todos que guardais ainda meus últimos cantos
Dai morte cruel à mulher morena!

VINÍCIUS DE MORAES

MORENA FLOR

Morena flor me dê um cheirinho
Cheinho de amor
Depois também me dê todo esse denguinho
Que só você tem

Sem você o que ia ser de mim
Eu ia ficar tão triste
Tudo ia ser tão ruim
Acontece que a Bahia fez você todinha assim
Só para mim


VINÍCIUS DE MORAES






Poesias 2038 – E se eu pudesse...

E
Se eu
Pudesse...

Voltaria no tempo e não te deixaria jamais!
Voltaria nos dias e te beijaria demais!
Voltaria na vida e te seduziria mais!
Voltaria na morte e não ressuscitaria...

E
Se nós
Pudéssemos?

Vamos voltar ao Nosso Lar...?


JORGE LEITE DE SIQUEIRA


Poesias 2038 – E se eu pudesse...

E
Se eu
Pudesse...

Voltaria no tempo e não te deixaria jamais!
Voltaria nos dias e te beijaria demais!
Voltaria na vida e te seduziria mais!
Voltaria na morte e não ressuscitaria...

E
Se nós
Pudéssemos?

Vamos voltar ao Nosso Lar...?


JORGE LEITE DE SIQUEIRA

Poesia 2037 – Canção de morte

De olhos fechados vejo tudo:
O sol
A lua
O mar...

De olhos fechados
Pregado dentro deste caixão
Eu vejo tudo:
As horas
Os dias
A rotina...

De olhos fechados
Pregado dentro deste caixão
Debaixo de sete palmos de chão
Soterrado por flores e cal
Eu vejo tudo:
A vida
A dor
O amor...

De olhos fechados!
Vejo os vermes que me devoram...

Maldita vida...


JORGE LEITE DE SIQUEIRA

Poesia 2036 – Corda bamba

Atenção, espectadores, eu voltei!
O grande palhaço está de volta!
Hoje farei um excepcional número: vou andar na corda bamba...

Atenção, senhoras e senhores!
Aproximem-se!
Vocês nunca viram nada parecido...

Na corda bamba eu sou o máximo!
Quase caio de um lado
Quase caio do outro lado
Mas estou sempre de pé...

A corda bamba é a minha casa!
Acordo na corda bamba
Vivo na corda bamba
Durmo na corda bamba...

E não aceito que ninguém venha ficar comigo!
Sou espantado, sim!
Sou escaldado, também!
Afinal, as mulheres que me conheceram
– na corda bamba –
Me abandonaram...

Atenção, platéia!
Venham ver o show!
A próxima sessão já vai começar!
E também já vai terminar...


JORGE LEITE DE SIQUEIRA

Poesia 2035 – Barco no deserto

Navegar é preciso,
Viver é preciso,
Morrer é preciso...

Remo!
Remo.
Não saio do lugar...

Sou barco a motor, mas só uso os remos...

Não consigo ganhar dinheiro
Não quero ganhar dinheiro
Não preciso ganhar dinheiro...

Preciso viver...


JORGE LEITE DE SIQUEIRA

Poesia 2034 – Isento

Traduzindo: meus sonhos não se realizarão?

Nenhum sonho se realizará!
Nenhum!
Nem o seu...

Seus sonhos comuns
Seus sonhos normais
Seus sonhos palpáveis
Seus sonhos materiais...

Não se realizarão...

E os meus?
Utópicos?
Com certeza, não...


JORGE LEITE DE SIQUEIRA

Poesia 2033 – Limando rimas

Teia de aranha.
Peia que arranha.
Feia que envergonha.
Ceia que enfadonha.
Meia que emaranha.
Seio que assanha.
Veia que apanha.
Cheia tamanha...

Leia! E sonha...


JORGE LEITE DE SIQUEIRA

Poesia 2032 – Único

Um copo na pia
Um prato
Um garfo
Uma faca...

Uma cadeira na mesa
Uma dose de café
Uma maçã
Uma fatia de pão...

Uma lágrima.
Uma única lágrima.
Uma vida desperdiçada?

E um dia fui especial...


JORGE LEITE DE SIQUEIRA

Poesia 2031 – O que há comigo?

O que há comigo?
A cada dia que passa
Sinto-me mais inútil,
Desnecessário...

Causei dores.
Criei ódio.
Decepcionei...

Tento mudar, não consigo...

A solidão é minha solução?
O isolamento é minha cura?
O afastamento te protegerá de mim?

Preciso aprender a ser fantasma...


JORGE LEITE DE SIQUEIRA

Poesia 2030 – Quem é o covarde?

De mãos postas
Rezo, covarde,
Ateu que sou...

Rezo palavras repetidas
Sem sentido
Pois misturo orações...

Mantras!

Procuro a paz
Temporária, que seja,
Quero uma boa noite de sono...

De mãos postas
Clamo a Deus: uma boa noite de sono.
Sou jogado dentro de um vulcão cheio de pesadelos...

Quem é o covarde?


JORGE LEITE DE SIQUEIRA

Poeta 2029 – Viver os sonhos

Sonhos!
Fantasias para não se viver?
Sonhos!
Tão difíceis de se concretizar...

Vivo de olhos fechados
Confundo realidade e fantasia
Sou um sonâmbulo utópico...

Deus passa um filme em minha mente
Mostra o que sou
E o que eu posso ser.
Confunde-me, claro, sou mais carne que espírito...

Vivo desconfiando de Deus...

Deus deve estar triste comigo!
Fez um mundo tão belo
Criou praias maravilhosas
Fez-me projetos na inconsciência
E eu, sonâmbulo acorrentado, não os concretizo...

E você?
Sonha?
O que tem feito para viver seus sonhos?
Confie mais em Deus
Confie mais em si
E viva...

E viva seus sonhos...


JORGE LEITE DE SIQUEIRA

POESIA 2028 – RAZÃO E EMOÇÃO

Tentei te ensinar a sorrir,
Tentaste me ensinar a pensar;
Tentaste me ensinar a pedir,
Tentei te ensinar a chorar...

Aprendi que para não voar preciso criar raízes.
Não consegui te ensinar que amor só se aprende amando...

JORGE LEITE DE SIQUEIRA

02 janeiro 2011

Feliz Ano Novo!!!!
Que 2011 seja um ano de muitas realizações para todos nós!!!

Feliz 2011...

POESIA: QUEM É O COVARDE?

De mãos postas em oração
Rezo, covarde,
Ateu que sou...

Rezo palavras repetidas
Sem sentido
Pois misturo orações...

Rezo mantras
Procuro a paz
Temporária, que seja,
Para uma boa noite de sono...

Rezo
E caio
No buraco de um vulcão...

De mãos postas em oração
Clamo a Deus por uma boa noite de sono.
Recebo pesadelos...

Quem é o covarde?

AUTOR: JORGE LEITE DE SIQUEIRA

Dez mitos sobre dietas

Muitos mitos você com certeza já deve ter ouvido e talvez até possa acreditar, mas o fato é que não correspondem à realidade. Aqui vão ...