12 dezembro 2012

crônica: tolerância zero

querido diário

hoje, pela manhã, vindo trabalhar em minha motocicleta estradeira de apenas 150 cilindradas peguei o enorme trânsito de limeira, onde moro. bem, limeira não é uma cidade grande mas tem mais de trezentos mil habitantes. já tem até segundo turno (mais de 200 mil eleitores). sendo assim, não é um trânsito enorme, com enormes engarrafamentos, como as capitais (ou as tantas cidades maiores), mas é um trânsito irritante.

eu sempre fico irritado quando venho trabalhar.

sou tolerante com muitas coisas, com muitas pessoas, com inteligentes burros e até com os burros inteligentes. sabe essa gente que acha que sabe? pois é, acham que entendem de tudo mas fazem tudo pela metade.

e lá estou eu entrando no centro da cidade. semáforos fechados, abertos, e amarelados. corre mais! dá tempo! freia! não dá mais...

espero o tempo regulamentar até que o sinal fique verde e acelero. daí vem um louco do lado de lá, buzinando, passando no vermelho. (quem tem moto sabe que a moto é mais rápida na saída do que um carro). então, quase eu sou atropelado em cima da minha moto por um idiota dirigindo um carro cinza que achava que o sinal amarelo é "corra mais rápido que dá tempo!.

tudo bem, eu sei que você vai falar que em todo lugar é assim, do norte ao sul, em todos os lugares! e é mesmo! concordo.

mas, vamos lá. continuo seguindo, estou mais rápido do que o carro da frente mas não posso ultrapassá-lo pois o motorista paga dois ipvas. como eu sei disso? eu acredito que ele paga dois ipvas pois anda no meio da pista, usando as duas faixas, não me permitindo ultrapassá-lo. e quando me permite é pela direita.

é proibido ultrapassar pela direita! será que ele sabe?

e de repente o carro faz uma manobra e entra à direita. por que não ligou a seta? deve estar quebrada, como aquele outro ali que também não deu seta. na verdade acho que os carros novos (grandes e cinzas) não vêm mais com setas instaladas. ninguém usa! deve ser problema de fábrica.

e minha tolerância vai diminuindo. chego a me envermelhar e gritar com alguns otários: dá a seta, porra!

e sempre tem um que pára o trânsito para estacionar. e demora. não é tão bom na baliza? então vai estacionar onde houver mais vagas, espaços maiores. etc.

parei para a senhora atravessar a rua, na faixa, mas quase a senhora morre porque o carro que vinha atrás não quis nem saber e me ultrapassou na contramão, quase passando por cima da velhinha. coitada. e seria morta por minha culpa? tudo bem, nunca mais paro para dar a preferência ao pedestre.

cuidado! quase sou acertado pelo motorista do honda que entrou no estacionamento pela saída.

e a tolerância? já era! agora só quero chegar e nunca mais andar de carro, de moto, de ônibus. só a pé. quer dizer, nem a pé, nesta cidade, neste centro de cidade. quero morar ao lado de meu trabalho, sair sem cruzar uma rua, trabalhar escondido numa sala fechada, voltar para casa num pulo. e nunca mais andar no asfalto.

minha tolerância está acabando.

de quem é a culpa? dos carros modernos e automáticos? dos fabricantes que instalam motores potentes em carros que devem andar devagar? nas autoridades de trânsito que não educam? nos motoristas que não estudam as leis? no papa? deus?

quem é o culpado?

todos reclamam. como estou fazendo. e todos cometem gafes. eu também. por exemplo, um dia, irritado, andei na contra-mão. quase sou acertado por um carro. culpa minha? culpa do carro à minha frente?

já pensei em protestar. fazer placas, pichar muros, dar entrevistas, cobrar das autoridades mais rigor. já pensei em me mudar. já pensei em tanta coisa. mas nunca fiz nada.

nada? nada não. sempre que posso falo sobre o assunto, dou conselhos, falos exemplos. sempre que posso chamo a atenção para as idiotices que fazemos no trânsito. sempre que posso. mas é tudo muito pouco.

um dia isso vai acabar. um dia vamos todos ser tolerantes. um dia. por enquanto, vou treinando minha tolerância sempre que vou ao trabalho. sempre que ando por aí. sempre.

treino. mas estou quase sendo vencido...

jorge leite de siqueira (12/12/2012)

Nenhum comentário:

Dez mitos sobre dietas

Muitos mitos você com certeza já deve ter ouvido e talvez até possa acreditar, mas o fato é que não correspondem à realidade. Aqui vão ...