06 fevereiro 2014

CARTAS AO MEU AMOR (Parte II)

Boa noite, meu amor. Tentei dormir mas não consegui. Já passa de meia noite. Coisas de velho, acho. Insônia, preocupações, ansiedade. Tomei remédio para controlar a pressão mesmo sabendo que a pressão não está alterada. Alterados estão os meus pensamentos.

Acabei de ler A CONSCIÊNCIA DE ZENO do Italo Svevo e fiquei bem pensativo. Tudo o que leio me deixa bem pensativo. Fico louco. Me tira o sono, inclusive. Ah, descobri o motivo da insônia. Bem, vejamos o que SAGARANA fará comigo. Os pensamentos do Zeno são parecidos com os meus. É bem legal estudar a sua "consciência", a sua necessidade de adoecer, de se perdoar, de auto-flagelamento. Tudo tem a ver comigo, com meus pensamentos, minhas necessidades. Minha consciência é assim, estranha. E nítida.

É o passado me fazendo mal?

O remédio começou a fazer efeito. Sinto meus ombros se relaxarem. Lembrei-me de quando comecei a trabalhar no RH da Prefeitura em que o Serginho me assustava. Que dor eu ficava nos ombros! Parecia carregas sacos e sacos de cimento nas costas.

Engraçado que o tempo passa e tudo muda. Tudo mudou.

Hoje no Sesi é muito mais trabalhoso, mais puxado, mais "fiscalizado", tenho mais responsabilidades, coisas urgentes, diferentes, mas, quanta leveza eu sinto! Adoro trabalhar no Sesi. O serviço é gostoso, o ambiente é leve, o "assunto" com que trabalho é gostoso: saúde, academia, aulas, cultura, cursos, esportes, lazer, piscina. Os novos colegas me divertem. Claro, como em qualquer lugar tem aqueles momentos de ignorância mas sempre "assopramos as feridas". Há um respeito diferente. As pressões fazem explodir as tampas das panelas mas rapidamente tudo volta ao normal.

E quando toca o telefone? Lembra, amor, quando eu contava sobre o RH? Cada ligação era uma pergunta estranha! Hoje, no Sesi, são perguntas sobre os assuntos a que me referi acima. Agora, já dominando o assunto, começo a curtir até os telefonemas.

Aqui em Rio Claro estou tendo dificuldades na casa em que moro. O sol bate bem em frente ao quarto e fica extremamente quente. Moto (com motor quente) dentro do quarto. Ah, não confio em deixá-la na rua, na frente de casa, aqui em Rio Claro está muito violento. Essa cidade é a 3ª mais violenta do Estado. Acredita? Aqui, neste quarto tenho passado péssimas noites. Não sei se vale a pena economizar de um lado (pago pouco) e sofrer do outro. Daqui a pouco estarei no médico, se continuar assim.

Mas existem algumas coisas em vista. Quem sabe daqui a pouco tudo se resolve.

Amor, esse é o ano de meu cinquentenário. Estou tentando organizar algumas ações do que farei neste ano (ler livros, ver filmes, etc.) mas ainda não me organizei. Neste final de semana prometo colocar um resumo bem legal.

Domingo passado fui com a Iris em Analandia, despedir-me dela que está voltando para Campinas. Ela tirou algumas fotos minhas e fiquei completamente decepcionado com a minha feição, como estou "acabado". Rugas, olheiras, cansaço. Uma enorme calvície. Cinquenta anos! Fazer o quê? Envelhecer.

Mas quero envelhecer feliz. Estou tentando. Vou conseguir.

E o que me faz feliz? Viajar. O que mais? Tirar fotos. Daqui a pouco o Carnaval está aí e vou viajar como um louco. Quero ir a Presidente Epitácio e voltar. Irei por um caminho (passando por Jales) e voltarei por outro (passando por Marília).

O que me seduz não é o destino, as cidades em que passarei. O que me seduz é a viagem. O caminho. A minha felicidade está na viagem e não no destino.

Mas, meu amor, sinto ter que ir sozinho. Gostaria tanto que você estivesse comigo, na garupa da moto. Mas, fazer o quê, né? Se você não pode nunca estar comigo, deixa a vida seguir. Quem sabe um dia você surge como uma fumaça e passa a me acompanhar.

Deixa a vida me levar? Não. Eu quero levar a vida. Do meu jeito.

Boa noite, amor. Vamos dormir.

JORGE LEITE DE SIQUEIRA (05/02/2014)

PS. Um dia escreverei aqui à noite e alguém lerá pela manhã, chorando sobre meu cadáver. Já pensou nisso? Eu penso. Horrível? Não! Pura verdade. Mas nem isso me preocupa mais...

=D

Nenhum comentário:

Dez mitos sobre dietas

Muitos mitos você com certeza já deve ter ouvido e talvez até possa acreditar, mas o fato é que não correspondem à realidade. Aqui vão ...