16 maio 2014

Andarilho Mochileiro - São Paulo (SP)


Rodovia dos Bandeirantes
A pedidos, agora vou contar mais sobre os meus passeios como "andarilho motorizado". Tentarei dar dicas e explicações de como chegar aos lugares que visito, mostrar detalhes dos pontos turísticos para um melhor aproveitamento quando você, leitor, for visitar o mesmo lugar.

Para começar resolvi mostrar o meu último passeio: São Paulo.

São Paulo tem de tudo: do belo ao feio, do bom ao ruim, do ridículo ao maravilhoso.

Moro em Rio Claro (SP) e cheguei a São Paulo pela Rodovia dos Bandeirantes. Perto de entrar na Capital podemos ver uma paisagem magnífica onde se destaca o Pico do Jaraguá.

Pico do Jaraguá
Esse pico fica no Parque do Jaraguá, o qual muito em breve terá minha visita.

Há uma trilha que leva até lá em cima, no ponto mais alto de São Paulo (1.135 metros de altura) de onde dá pra ver até 55 km de distância, mas deixei para o próximo passeio essa visita.

Em São Paulo visitei diversos lugares: a pé, de metrô, de ônibus. Não circulei de moto como costumo fazer pois Sampa tem algumas características que não me agradam a transitar de moto. Quais? Carros e mais carros. Um trânsito intenso. Não é por medo, mas acho mais fácil chegar a alguns lugares de metrô (ou a pé mesmo). Quando se conhece tudo fica perto.

Praça da Sé
Na Praça da Sé já dá pra se ver a imensidão que é São Paulo, com prédios enormes, alguns modernos outros antigos, muito comércio, muita gente.

Vejo pessoas apressadas e viciados acendendo cachimbos de crack. Vejo vendedores conversando com ciganas vestidas a caráter. Vejo rapazes suspeitos e turistas tranquilos tirando fotos de estátuas e da Catedral.

Quanto à Catedral, é magnífica. Enorme.


Catedral da Sé
Por dentro é ainda mais impressionante. A história da Catedral com seus comícios e encontros políticos, e até mesmo o fato de ser considerado o ponto zero de São Paulo me alucina e paro um instante para respirar o ar que dali emana.

A igreja Católica sabe chamar a atenção. Esculturas e pinturas belas e detalhadas emolduram toda uma esfera sobrenatural que paira sobre nós, mortais, crentes em algo cósmico, uma força, uma luz, um Deus.


Banco Santander - o Banespão
Saindo da Praça da Sé fui até perto da Rua São Bento para conhecer o mirante do Banespão.

O Edifício Altino Arantes foi construído como o mais alto de São Paulo mas o tempo e o progresso o transformaram apenas no terceiro mais alto da cidade.

Peguei fila ainda pequena mas demorada. Depois de aproximadamente quarenta minutos entro num elevador e subo 26 andares. Entro em outro e subo mais até chegar ao 32º andar. Espero um pouco e subo mais três andares de escada e pronto, ali está, enorme, incrível, um emaranhado de prédios que se parecem a um quebra-cabeças. Boquiaberto tiro fotos e mais fotos. Tenho apenas cinco minutos ali em cima.

Será que Deus constrói as cidades como nós jogamos esses joguinhos de facebook? 

São Paulo
De cima do Banespão, no mirante, dá pra ver toda a história de São Paulo, desde o prédio da antiga prefeitura, a saída do metrô para a estação Dom Pedro, a própria central de ônibus do Parque Dom Pedro, a Catedral da Sé, prédios e mais prédios antigos e famosos como o Martinelli, a Catedral de São Bento, a região da Santa Ifigênia, a área da Vinte e Cinco de Março e muito mais.

Se for falar tudo o que dá pra ver não conseguiríamos terminar esta crônica. É muita coisa e um prato cheio para os que conhecem São Paulo de forma mais profunda, o que não é o meu caso.

Mesmo paulistano, não vivi o suficiente em São Paulo para conhecer todas as entranhas desta Selva de Concreto. Mas a curiosidade aumenta a cada dia. Visitarei Sampa mais vezes.


Mercado Municipal de São Paulo
Depois dessa "viagem" resolvi conhecer outro ponto turístico muito famoso de Sampa: o Mercadão Municipal.

O Mercadão ficou conhecido principalmente pelo seu lanche de mortadela, exagerado e caro, mas que cria a curiosidade.

Pensei em encarar o lanche para ter mais argumentos sobre o mercadão mas não tive a coragem suficiente.

Lotado, com filas para tudo e principalmente para o lanche de mortadela, resolvi escapar dali e visitar outros lugares.

Mercadão de São Paulo
O Mercadão tem de tudo o que um bom mercado municipal deve ter: barracas de frios, carnes, frutas, bebidas, comidas e tudo o mais que você possa imaginar.

O Mercadão foi inaugurado em 1933 e oferece a seus visitantes não apenas "coisas para comer", mas também oferece uma arquitetura eclética, misturando o antigo e o novo de uma forma que não contrasta devido ao grande fluxo de pessoas.

Conta também com vitrais muito bonitos.



Estação da Luz
A Estação da Luz é incrível e bela. Suas construções são datadas de 1901 e sua torre mais alta copia o Big Ben da Inglaterra.

Seu complexo arquitetônico foi tombado como patrimônio histórico nacional em 1982.

Quanto à praticidade no que tange ao transporte público é uma enorme estação de trens com intercâmbio ao metrô. Da Estação da Luz saem trens para todas as partes de São Paulo, inclusive com trens turísticos (que está na minha agenda).

E quando se fala em trens e em São Paulo dá para imaginar a multidão que passa na estação diariamente.

Estação da Luz
A estrutura arquitetônica da Estação da Luz é encantadora e dá uma boa impressão de limpeza e organização. No entanto, São Paulo é assustadora quando falamos em transporte público, com sua enorme população que vai e vem todos os dias.

É muito divertido ver os trens chegando e vomitando uma multidão; em seguida engole centenas de pessoas em segundos e se vai. E assim sucessivamente: chegam outros, fazem a mesma coisa e partem.

Acho que alguém de uma cidade menor deve morrer de medo do que significa São Paulo e a Estação da Luz, já que é uma porta de entrada para a "Terra da Garoa".

Estação da Luz

Parque da Luz
Em frente à Estação da Luz e ao lado da Pinacoteca podemos visitar o Parque da Luz.

Neste Parque vemos a diversidade da cidade. Homens e mulheres perambulando, alguns apenas descansando, outros trabalhando (prostitutas, por exemplo), andarilhos e desocupados se exercitando na academia improvisada, famílias fazendo piqueniques e turistas visitando as diversas esculturas que estão espalhadas por todo o parque.

Considero um belo parque com muitas árvores, o que é um contraste benéfico à Selva de Concreto.

Parque da Luz
Achei sensacional dois homens tocando MPB em violão e saxofone (Chico Buarque, Tom Jobim, Vinícius de Moraes e tantos outros) sem "rodar o chapéu".

Era apenas diversão, prazer.

Conversei com algumas pessoas e todos foram unânimes em considerar o Parque um local tranquilo, sem a violência de assaltos e roubos, mas com os problemas sociais que temos em todas as cidades: drogas e prostituição.

Achei um saldo positivo e é um local que voltarei sempre que estiver passando pela região da Luz.


Museu da Língua Portuguesa
No prédio da Estação da Luz nós temos o Museu da Língua Portuguesa, onde estava em exposição a  mostra "Narrativas Poéticas - Coleção Santander Brasil" composta por 58 obras de 38 artistas brasileiros, acompanhadas de dezenas de fragmentos de poemas de autores brasileiros.

Expostos pelas paredes e pisos de todas as formas audiovisuais, viajei pelas palavras (e letras e frases) da língua portuguesa.

Quadros famosos estão à disposição dos visitantes, que podem admirar e fotografar à vontade.


Museu da Língua Portuguesa
Gostei bastante da forma como colocaram as frases escritas nos vidros da janela por onde entrava o sol e refletia as palavras pelo chão, formando as frases ao contrário.

Arte.

Ao final passam um pequeno filme e fazem uma apresentação multivisual de trechos de escritores brasileiros, ao mesmo tempo que "brincam" com apresentações de slides nas paredes escuras da sala do pequeno cinema.





Pinacoteca do Estado de São Paulo
Em seguida fui à Pinacoteca (em frente ao Museu da Língua Portuguesa e ao lado do Parque da Luz) onde podemos admirar quadro de artistas de todas as épocas.

Na Pinacoteca do Estado de São Paulo encontramos cerca de 50 obras de artistas como Tarsila do Amaral, Cândido Portinari, Emiliano Di Cavalcanti, Alfredo Volpi, Lasar Segall, Victor Brecheret e muito mais, trabalhos realizados entre os anos 1920 e 1950.

Tantas outras esculturas e quadros estão expostos por todo o museu formando outras exposições.


Pinacoteca apresentando performance de Tino Sehgal
Interessante a apresentação do artista Tino Sehgal através de três performances que pude apreciar.

A primeira foi de um homem que girava o braço e pulava. Ao final da performance disse o nome do artista e ano de criação da performance.

A segunda foi uma mulher cantando bem suave. Muito bom e estranho. Conversei com ela e a mesma me explicou sobre a exposição de Tino.

Foi ela quem me indicou a terceira performance.

Na terceira performance havia um casal se beijando e em câmera lenta faziam movimentos com seus corpos sempre entrelaçados e sensuais.

Diferente e chocante, apenas isso. Arte é única. Gostar ou não gostar? Cada um tem uma opinião, única, a qual não podemos julgar bom ou ruim.

Pinacoteca do Estado de São Paulo
Andei muito pela Pinacoteca e conheci trabalhos incríveis.

Na verdade não sei admirar quadros. Via pessoas falando dos traços, da firmeza disso, risco e rabisco daquilo, tentavam entender o que nem o artista conseguiu explicar.

Eu admirei a cor, o desenho final, essas coisas. Achei muito bom e voltarei à Pinacoteca, com certeza, quando houver uma alteração das exposições.

Imperdível.


Em seguida eu visitei o MASP - Museu de Arte de São Paulo. Não gostei da recepção pois não permitem fotografar, mas as obras que ali estão são sensacionais.


"São destaques da Coleção do MASP as obras de Rafael, Bellini, Andrea Mantegna e Ticiano, na Escola Italiana. Os retratos das filhas de Luiz XV, pintados por Nattier, as Alegorias das Quatro Estações de Delacroix e as pinturas de Renoir, Monet, Manet , Cézanne, Toulouse-Lautrec e também as de Van Gogh, Gauguin e Modigliani registram a importância da arte produzida na França, presentes na Coleção.

O MASP também possui a coleção completa de 73 esculturas de Edgar Degas, além de 3 pinturas do artista.
 

A Arte Espanhola está representada por El Greco, Goya, Velázquez, e a Arte Inglesa por Gainsborough, Reynolds, Constable e Turner, entre outros. Dentre os flamengos, citamos Rembrandt, Frans Hals, Cranach e Memling e o tríptico de autoria de Jan Van Dornicke.
 

Na Arte das Américas marcam presença Calder, Torres Garcia, Diego Rivera e Siqueiros, dentre os muitos artistas brasileiros, Almeida Junior, Cândido Portinari, Anita Malfatti, Victor Brecheret e Flávio de Carvalho.
 

Fazem parte do acervo também núcleos de: Arqueologia, Esculturas, Desenhos, Gravuras, Fotografias, Maiólicas (cerâmicas italianas dos séculos XIV ao XI), além de Tapeçarias, Vestuário e Design.
 

A convite do “Musèe d’Orsay” o MASP integra desde 2008, o “Clube dos 19”, que congrega os 19 museus cujos acervos são considerados os mais representativos da arte européia do século XIX, como o Musèe d´Orsay, The Art Institute de Chicago, Metropolitan de Nova York, entre outros.
 

Tombado pelo Patrimônio Histórico e Artístico Nacional – IPHAN, o acervo do museu vem sendo enriquecido e  ampliado através de doações de pessoas físicas e de parcerias com empresas e instituições."


Museu de Arte de São Paulo - MASP


Para finalizar, gostaria de falar que paguei R$ 15,00 para visitar o MASP, nada para visitar a Pinacoteca e o Museu da Língua Portuguesa (aos sábados é gratuito), nada para visitar o mirante do Banespão.

Obrigado pela visita. Nos vemos em breve...


Jorge Leite de Siqueira, autor de Faroeste Caboclo - o Livro



Nenhum comentário:

Dez mitos sobre dietas

Muitos mitos você com certeza já deve ter ouvido e talvez até possa acreditar, mas o fato é que não correspondem à realidade. Aqui vão ...