06 janeiro 2016

Poesia - Lápide

Quando eu me for
embora
não levarei nada.

Quando a hora chegar
do sono finalmente me acalmar
não deixarei nada.

Nada!
Nem casas
nem carros
nem um mínimo saldo bancário.
Nada.

Quando eu for
embora
para a cidade mágica do sono eterno
que as minhas palavras
tragam-me de volta
para aquecer
o seu coração...

Palavras.
É só o que deixarei...

JORGE LEITE DE SIQUEIRA


Reinícios

Olá, como vai? Tudo bem contigo? Sim, estou de volta. Como você pode perceber, estou tentando uma volta. Espero que consiga ser mais efet...