20 outubro 2009

MULHER MELANCIA? MORANGUINHO? E OS HOMENS???

HOMEM Camarão : só tem merda na cabeça, mas é gostoso e você come assim mesmo.

HOMEM Caranguejo: é feio e peludo, mas você bate nele, limpa direitinho e come.

HOMEM Pão : tem sempre o mesmo gosto, mas você come todo dia.

HOMEM Aperitivo : acompanhado de uma bebida você come e ainda acha bom.

HOMEM Maracujá : é todo enrugado, você come e depois sente vontade de dormir...

HOMEM Lagosta : só come quem tem dinheiro.

HOMEM Caviar : você sabe que alguém está comendo, mas não é ninguém que você conheça.

HOMEM Bacalhau : você só come uma vez por ano.

HOMEM Maionese de Fim de Festa : todo mundo te avisa pra não comer, mas você come porque está desesperada; arrepende-se e depois passa mal.

HOMEM Rã : todo mundo já comeu, menos você.

HOMEM Salada : é bonito, mas quando você come descobre que não é tão gostoso assim.

HOMEM Marmita : não é lá essa coisa, mas você come rapidinho.

HOMEM Cafezinho de Supermercado : você nem faz questão, mas como é de graça, você come.

HOMEM Jiló : é horrível, mas você conhece alguém que come.

HOMEM Docinho de Festa : você fica com vergonha de chegar junto, então vem outra, come e deixa você chupando dedo..

HOMEM Cogumelo Venenoso : comeu, ta fudido.

HOMEM Feijoada : você come e ele fica te enchendo o dia todinho.

HOMEM Coqueiro : pode trepar que não tem galho.

HOMEM Miojo : em um minuto ta pronto pra comer.

HOMEM Coca 2 litros : dá pra seis

HOMEM pé de chuchu: Você é obrigado a comer senão a vizinha vai lá e come.

HOMEM BIS : você come, repete e nem se lembra das calorias.

15 outubro 2009

Poesia – Veneno

Fel na língua,
Mel na garganta.
Vida na agulha,
Morte na presa...

No cristal da taça
Bóiam palavras no veneno.
Misturam-se aos poucos...

Homogêneos...

Bebo, aos goles;
Rumino, lentamente;
Regurgito, aos borbotões...

Invado sua mente...

O veneno que me dá a beber
Intoxica a sua consciência...

Autor: Jorge Leite de Siqueira
(Todos os direitos reservados)

14 outubro 2009

Poesia – O sopro divino

A vida
O sopro no barro
Que só seria barro
Sem a presença divina...

O sopro
Que se renova pelas manhãs
Quando abro os olhos
E percebo a vida
Depois da morte do sono...

Agradeço o sopro a Deus
E a força que me deu
Para matar outro leão
Aquele de cada dia...

De terno ou bermudas
Visto um sorriso
E vou à luta...

Voltarei à noite
Trazendo o mesmo sorriso
A pele do leão morto
E o sopro divino...

Pela fé estou vivo,
Pela fé viverei...

Autor: Jorge Leite de Siqueira
(Todos os direitos reservados)

13 outubro 2009

Poesia – Pensando demais

A alegria
Na risada alheia
No motivo banal
Por detrás das paredes
Me leva a pensar
Que não rio...

Penso demais para rir...

Autor: Jorge Leite de Siqueira
(Todos os direitos reservados)

Poesia - Entreguei a direção de minha vida a Deus

Não agüento mais!
É muito desastre em meu caminho!
Sou um péssimo motorista...

Vou devolver a carteira
Não quero mais dirigir
Eu desisto...

Preciso de um motorista
Alguém em quem eu possa confiar
Pois cansei das trombadas
De quebrar a cara.
Quero ser apenas passageiro...

Apresentaram-me um motorista!
Um bom motorista!
Seu currículo é ótimo...

Com ele não corro perigo
Os buracos sumirão
A velocidade será sempre a justa
E os acidentes desaparecerão de minha vida...

Destino?
Nem quero saber para onde vou.
Sempre fiz meu roteiro
E sempre me dei mal.
Agora, não!
Agora vou para onde devo ir...

Chega dos caminhos tortos!
Chega da escuridão!
Agora terei rumo...

Agora, tudo faz sentido!
Deus dirige para mim...

Autor: Jorge Leite de Siqueira
(Todos os direitos reservados)

Poesia - O vento

Viro vento
E sigo teu cheiro
Entre árvores
Montanhas
E invado a cidade
Desvio de carros
Subo em prédios
E te encontro
Com janelas abertas
Assistindo televisão...

Embaralho teus cabelos
Arrepio tua nuca
E jogo papéis pelo chão...

Eu te deixo maluca...

Você tenta me expulsar
Aproveito e levanto teu vestido
Congelo o tempo
Rodeado ao teu corpo
Abraço a você...

Mas, você fecha a janela...

Vou para fora
E fico batendo no vidro da janela
Empurrando a porta
Implorando para entrar
E te abraçar novamente
Tê-la nos braços
Mais uma vez...

Cansado
Paro de tentar
E volto para o mundo
Desmanchando-me em redemoinhos
Desejando-me furacão
Que me leve a você
Ou te traga a mim...

Tão rápido vou
Que nem preciso de tempo
Para medir meu amor...

Autor: Jorge Leite de Siqueira
(Todos os direitos reservados)

Poesia – How deep is your love?

No radio
Elton John, Phil Collins,
Bee Gees…

Domingo à noite
Flashback...

Não mereço!
O pensamento voa
Volta anos, séculos, milênios,
Não evito as lágrimas...

São as últimas?
Antes fossem!
Que derramassem o balde!
Por mim...

Não serão...

Quero mudar
Me encontrar
Mas não está fácil...

Estou tentando
Mas não consigo...

Agora está pior!
As coisas se complicam
E sinto que estou perdido...

Ou estou aprendendo...

Quem sabe!
Torço para que amanhã,
Quando o sol brilhar
Eu receba boas notícias
E crie asas novamente...

Não para voar a esmo,
Mas, para apenas voar.
Nem isso faço mais...

O peso nas costas é demais
O fardo na consciência é enorme
E não consigo levantar vôo...

Amanhã...

Sim, amanhã.
Os raios de sol brilharão
Iluminarão minha alma
E voltarei a sorrir...

Amanhã...

Porque, agora,
Domingo à noite,
Sozinho neste quarto
Só enxugo lágrimas...

How deep is your love...

Autor: Jorge Leite de Siqueira
(Todos os direitos reservados)

Dez mitos sobre dietas

Muitos mitos você com certeza já deve ter ouvido e talvez até possa acreditar, mas o fato é que não correspondem à realidade. Aqui vão ...