31 março 2010

POESIA 1686 – QUANDO TUDO ESTAVA PERDIDO

Quando pensei que tudo estava perdido
Olhei para o fundo de mim mesmo
E tive a certeza:
Tudo estava realmente perdido...

Peguei fósforos, acendi velas, usei lanternas a pilha
E fui procurar o que estava perdido.
Procurei nos quatro cantos de meu âmago
Mas nada encontrei.
Procurei nos quatro cantos da casa
Mas nada achei.
Procurei nos livros
E descobri a mitologia...

Trouxe Pandora para minha utopia
Com seus segredos e magias
E me convenci ser deus:
O deus da perdição...

Meu coração encontrou o amor
Meu corpo encontrou o calor
E minha alma encontrou a paz...

Mas já era o sétimo dia e parei para descansar...

AUTOR: JORGE LEITE DE SIQUEIRA

30 março 2010

POESIA 1685 – ODE À PRINCESA THAIS

Eu andava por um caminho colorido
Onde tudo parecia pintado à mão
E a tinta, ainda fresca, manchava meus sapatos
E marcava meu caminhar...

O caminho era de pedras
Pequenas pedras brilhantes verdes
Que não machucavam,
Muito pelo contrário,
Brilhavam junto ao verde de meus olhos
E o sangue que escorria de meus dedos era de um vermelho incolor...

O vermelho, o verde, o colorido,
Misturavam-se em meus pensamentos
E eu amava
Tudo, todos,
Pois tudo era cor
E a utopia me carregou no colo...

A cerveja era um líquido gosmento e verde
Mas tinha o sabor da mais gelada Skol na Praia do Futuro
E sentia os beijos da mulher que mais amo
E o carinho da mulher que mais desejo...

E a utopia me jogou no chão...

Arrastando-me, cheguei ao pomar.
Fui levantado pelos poetas do passado
Que me esmurraram o cérebro
Dizendo para parar de escrever
Pois estava ficando doente...

Eu não penso no escrevo
Copio o que a Alice me dita
Do País das Maravilhas...

Acordei suado
Pelado
Grudado em folhas de cadernos
Escritas e amassadas
Que continham frases desconexas
Como minha personalidade...

AUTOR: JORGE LEITE DE SIQUEIRA

29 março 2010

MAIS DIÁRIO POÉTICO

1675 – PLANOS DE FUTURO

Você me diz:
- Você não tem futuro!
Eu sei que não tenho.
Mas, para quê futuro?
Pense no agora
No prazer que pode ter agora...

Planos de futuro?
Não faça.
Eu também não farei...

Quem é o dono do futuro?



1676 – AINDA NÃO VEJO DEUS

Li as profecias
Vi os sinais
Ouvi as pregações
Mas ainda não vejo Deus...

Quer dizer
Até que o vi
Quando olhei no espelho...

Mas não o reconheci...

1677 – VAMOS TOMAR BANHO

Sinto saudades de você.
Muitas saudades.
Que vontade de você...

Vou tomar banho?
Vamos?

Você se lembra disso?
Que saudades...


1678 – PLAGIANDO VELHAS VIRGENS

Vou te contar um segredo:
Eu não tenho futuro...

Tudo que te prometi
Foi só para te comer...


1679 – VOCÊS NÃO TIVERAM INFÂNCIA

Subo na laje
Faço bolhas de sabão
Que voam
E entram nas casas
E nos apartamentos vizinhos...

Uns saem sorrindo
Mas outros brigam.
Dizem que não tive infância...

Eu paro
Guardo o detergente
E concluo:
Eu tive infância, ainda tenho,
Quem não teve foram vocês...



1680 – É AMOR

Ouço o galo cantar
Acordo, bocejo,
Abro a janela
Vejo o sol...

As galinhas correm pelo quintal
As vacas se preparam no curral
É hora de tirar leite...

O bolo, quente, sobre a mesa
E o café no bule
Indicam que Shally está perto...

E está.
Já chega me abraçando
Beija-me na boca
E me deseja um maravilhoso dia...

Tomamos café fazendo planos
Combinamos onde vamos vender artesanato
Pois precisamos de dinheiro...

Somos felizes...

Quando voltamos, à noite,
Estamos cansados, mas felizes.
Somos livres...

E nos amamos...


1681 – SEM FALAR NADA

Olho em seus olhos
Pergunto sem falar
Se você vai ao forró
Ao vivo, na praça,
Ou ao barzinho,
Com MPB voz e violão...

Você responde
Sem dizer uma palavra:
MPB...

É por isso que te amo...


1682 – VOU VOLTAR A SONHAR

Vou voltar a sonhar
Eu prometo
Retiro tudo que disse ontem
Pois hoje percebi
Que não ter sonhos
É morrer...

E estou muito novo para partir...

Terei sonhos
E os perseguirei
Pois nasci para isso
E isso sempre farei...


1683 – QUE PEITOS!

Toco teus peitos.
Que peitos!
Meu Deus, que peitos!

Sua bunda é perfeita
Suas coxas são maravilhosas
Seu rosto é lindo
Mas, teus peitos,
Ah, teus peitos,
São excepcionais...

Que peitos!


1684 – ERRO INFANTIL

No carro
Erro a marcha
E toco tua perna...

Você sorri, maliciosa...

Acabamos no Motel.
E tudo começou com um erro tão infantil...


AUTOR: JORGE LEITE DE SIQUEIRA
(TODOS OS DIREITOS RESERVADOS)

28 março 2010

POESIA 1674 – DIÁLOGO COM MEU FANTASMA (SÁBADO À NOITE)

I
Na mata escura
Vivo procurando por uma luz
Que imaginei um dia ter visto nos olhos dela.
Verdes...

Ah, se ela não fechasse tanto os olhos...

II
Dizem que o coração fala.
Como é a voz do coração?
O que ele diz?

Que ridículo!
Ouvir o coração...

Um segredo: eu já ouvi,
Mas, não me imite...

III
Sabe o que são lágrimas?
Sabe o que é beijo?
Sabe o que é o amor?

Às vezes sou tão ignorante...

IV
Por amor
Enchi um balão
E cruzei o continente...

Por amor
Viajei sozinho
E não pensei no que deixava...

Pensei nos sonhos, na felicidade...

Por amor
Não percebi que os sonhos serão sempre sonhos
Pois foram criados para isso.
E quem sou eu para mudar?

Agora, desisti dos sonhos.
Por amor?

V
Minha camisa branca está furada.
Eu não a rasguei
Ela é velha mesmo...

Sou pobre...

VI
O sol ainda brilha
Que maravilha!
Sabe o que significa?
Que o calor vai continuar...

Oh, que sensível...

VII
A juventude chegou
A juventude passou
E eu nem percebi...

Ainda penso no futuro
E estou perdendo a velhice...

VIII
Para que viver assim?
Para que essa correria?
Para que viver nessa prisão?

O que vem amanhã?
A morte.
E eu não fiz nada na vida...

IX
Em julho eu vou viajar.
Quero ir para Minas
Ou para o Sul
Pode até ser o interior de São Paulo...

Em julho eu vou!
Não sei para onde
Mas, vou...

X
Às vezes
Acho que seria feliz
Se fosse andarilho...

Eu queria ser feliz
Apenas ser feliz...

O que não sou hoje...

XI
A vida brinca comigo
Esconde-esconde
Ciranda
João bobo...

Brinca de tudo
Mas o palhaço sempre sou eu...

XII
Estou cansado
Não é sono
Estou mentalmente cansado...

Quero dormir
Por uns dois anos...

XIII
Passou de meia noite
Daqui a pouco vou assistir à corrida
Às três horas
E preciso acordar...

Mas ainda nem dormi...

XIV
Um dia fui poeta
Hoje sou apenas um fiasco
Que escreve um diário
Para se enganar...

Um dia eu fui alguém...

XV
Meus planos:
Daqui a dois anos
Vou chutar o balde...

Quem viver verá!

Estou descartando a praia
E pensando no silêncio
Quem sabe um sítio?

Deixa o mar para os sonhos...

XVI
Ei, Shally!
Sua mala está pronta?
Prepare-se!
Falta pouco tempo...

Classificação final do Mundial de Pilotos após 2 de 19 corridas:



Posição Piloto País Equipe Pontos

01 Fernando Alonso ESP Ferrari 37
02 Felipe Massa BRA Ferrari 33
03 Jenson Button ING McLaren-Mercedes 31
04 Lewis Hamilton ING McLaren-Mercedes 23
05 Nico Rosberg ALE Mercedes 20
06 Robert Kubica POL Renault 18
07 Sebastian Vettel ALE RBR-Renault 12
08 Michael Schumacher ALE Mercedes 9
09 Vitantonio Liuzzi ITA Force India-Mercedes 8
10 Mark Webber AUS RBR-Renault 6
11 Rubens Barrichello BRA Williams-Cosworth 5


12 Adrian Sutil ALE Force India-Mercedes 0
13 Jaime Alguersuari ESP STR-Ferrari 0
14 Nico Hulkenberg ALE Williams-Cosworth 0
15 Heikki Kovalainen FIN Lotus-Cosworth 0
16 Sebastien Buemi SUI STR-Ferrari 0
17 Jarno Trulli ITA Lotus-Cosworth 0
18 Pedro de la Rosa ESP Sauber-Ferrari 0
19 Bruno Senna BRA Hispania-Cosworth 0
20 Timo Glock ALE VRT-Cosworth 0
21 Vitaly Petrov RUS Renault 0
22 Kamui Kobayashi JAP Sauber-Ferrari 0
23 Lucas di Grassi BRA VRT-Cosworth 0
24 Karun Chandhok IND Hispania-Cosworth 0

27 março 2010







POESIA 1673 - QUERO APENAS VOAR

Estou cansado.
Quero voar, não quero mais andar.
Você quer andar.
Eu te falei de meu amor por você
Você apenas sorriu.
Isso é gratidão...

Não quero gratidão. Quero fogo. Quero queimar...

Eu te falei que estou cansado
Você diz que é normal
Que todos estão...

Eu sou único. Eu sou eu...

Quero voar!
Você cisma em continuar caminhando, correndo.
Olha o buraco!
Não olha o buraco...

E diz que as quedas são por minha causa...

Estou cansado.
Da rotina
De viver
De tudo...

Quero a varanda.
Quero a paz.
Quero amor...

Quero seu amor. Apenas o seu. Mas, inteiro...

Não quero pedaços,
Como um quebra-cabeças.
Ou tudo ou nada...

Morno. Apenas morno. Meio. Metade...

Não!
Quero inteiro!
Quero te amar
Quero morrer de amor
Quero viver para amar
Quero amar, apenas...

O que você quer? Ainda não entendi...

AUTOR: JORGE LEITE DE SIQUEIRA
(TODOS OS DIREITOS RESERVADOS)




RENATO RUSSO - 50 ANOS DE VIDA

ENTREVISTA

O QUE TE MOTIVOU A ESCREVER O LIVRO FAROESTE CABOCLO?
QUANTO TEMPO LEVOU PARA FICAR PRONTO?

Na época em que escrevi o livro eu trabalhava como funcionário público em uma cidade no interior de São Paulo. No trabalho sempre escutávamos MPB e em um determinado momento começou a tocar FAROESTE CABOCLO, da Legião Urbana. Eu falei que iria fazer um livro contando a história de João de Santo Cristo. Fui desafiado pelas colegas (Simone e Gabriela) e neste mesmo dia comecei a escrevê-lo. Em pouco mais de trinta dias eu já o tinha escrito.

COMO FOI O TRABALHO DE PREENCHER A HISTÓRIA CONTADA PELO RENATO PARA RENDER UM LIVRO?
A música já é quase um livro. Eu me percebia escrevendo a história, contando os detalhes, tendo idéias, a todo o momento. Eu não podia fugir da letra da música e percebi que o próprio Renato já tinha me ajudado a escrever o livro quando escreveu as outras músicas, das quais usei frases como diálogo dos personagens.
Sempre pela manhã, quando chegava ao trabalho, a colega Gabriela me pedia para ler o que eu havia escrito no dia anterior. Isso me deu uma responsabilidade em satisfazê-la e ao mesmo tempo era um empurrão para terminar logo a história.

O QUE PRETENDEU ENFATIZAR AO RECONTAR A HISTÓRIA DE JOÂO DE SANTO CRISTO?
Eu já morei no interior da Bahia, também no sertão de Pernambuco e nesses lugares eu percebi uma exploração política. Tentei mostrar um pouco disso.
Eu quis fazer um personagem bondoso, mesmo envolvido com drogas, mortes e todos os malefícios desse tipo.
Além disso, quis mostrar como o Renato Russo era iluminado, era genial. Ele escreveu coisas separadas, mas que se uniam e passavam boas mensagens.

POR QUE COSTURAR A HISTÓRIA COM REFERÊNCIAS A OUTRAS MÚSICAS DA LEGIÃO?
Eu sempre escutei Legião Urbana, mas quando comecei a escrever eu sentia as letras das outras músicas se incluindo naturalmente no diálogo dos personagens. Eu ainda estava no início do livro quando percebi isso. Parei tudo, imprimi todas as letras, e passei a ouvir, cantar e ler todas as letras e músicas.
É inacreditável, mas é como se uma força superior (o próprio Renato?) me ajudasse a escrever o livro e montar aquele quebra-cabeças.

POR QUE FOI PUBLICANDO OS CAPÍTULOS NO BLOG?
A princípio, eu não tinha interesse financeiro no livro e o distribui, via blog, para que todos o conhecessem. Como não recebia comentários resolvi então disponibilizar apenas oito capítulos e só mandava o restante quando me pedissem via email. A idéia deu resultado e percebi como o livro estava fazendo sucesso.
Só então, resolvi tentar alguma editora, mas não obtive êxito.
Criei um blog e coloquei o FAROESTE à disposição, incluindo os outros livros que escrevi e as poesias que escrevo.

VOCÊ CHEGOU A APRESENTAR O LIVRO A ALGUMA EDITORA, PARA TENTAR PUBLICÁ-LO?
Sim, mandei o livro para algumas editoras, mas nunca recebi uma resposta favorável. É sempre a mesma história: não se vende livro no Brasil, a não ser de escritores famosos, etc.

COMO TEM SIDO A REPERCUSSÃO DO LIVRO NA INTERNET?
Ótima. Existem comunidades no Orkut de onde recebemos ótimos comentários. Existe uma cópia do livro em PDF que está sendo disponibilizada em diversos blogs para download e existe o meu blog onde o leitor pode ler todo o livro.
A internet é a melhor forma de mostrar o seu trabalho, de aparecer. Recebo constantemente e-mails elogiando o livro e perguntando quando será impresso.

O LIVRO ESTÁ À VENDA EM UMA PÁGINA SUA NUMA COMUNIDADE DE AUTORES, MAS É POSSÍVEL ENCONTRÁ-LO PARA DOWNLOAD. O QUE ACHA DISSO?
A comunidade de autores citada vende livros individualmente, ou seja, o cliente escolhe o livro e a comunidade manda imprimir uma cópia apenas do mesmo, o que encarece o serviço. É bom por um lado porque posso dizer que o livro está à venda, mas é ruim por outro, pois o livro fica muito caro. No meu caso, o livro está sendo vendido por quarenta reais.
E existe a versão para download, para quem não quer pagar pelo livro, mas quer conhecê-lo.
É a forma de me expor, de mostrar meu trabalho, de preparar o futuro. Creio que o FAROESTE venderá bem se for publicado, mesmo existindo a versão para download, mas estou investindo mais no próximo livro, o EDUARDO E MÔNICA, que só disponibilizarei se um dia uma editora o solicitar para publicá-lo.

ALÉM DE SEU LIVRO, HÁ OUTRO JÁ LANÇADO (“BIOGRAFIA DE JOÃO DE SANTO CRISTO”, DE MÁRIO BUZZULINI) E UM FILME EM PRODUÇÃO BASEADO NA MÚSICA. O QUE EXPLICA ESSA FASCINAÇÃO EM TORNO DA MÚSICA? O QUE O PERSONAGEM JOÃO DE SANTO CRISTO E SUA TRAJETÓRIA TÊM PARA DESPERTAR TANTO INTERESSE?
Tenho certeza que existem muitos rascunhos contando a história de João de Santo Cristo, afinal Renato fez uma legião de fãs que ainda o idolatram. No final do ano passado, fui a um show onde Dado Villa Lobos e Marcelo Bonfá cantaram os sucessos da Legião Urbana. Fiquei surpreso por ver tantos jovens vibrando, cantando juntos.
Quanto a João de Santo Cristo, vejo-o como um símbolo de superação, uma pessoa boa, que combatia os preconceitos.

VOCÊ É FÃ DE LEGIÃO URBANA?
Sou fã, tenho todas as músicas, carrego-as inclusive no celular, escuto-as quase todos os dias, sei cantá-las, mas não me considero fanático. Adoro as mensagens que o Renato passou através de suas músicas.

QUAL O LEGADO QUE, NA SUA OPINIÃO, A BANDA E O RENATO DEIXARAM PARA A MÚSICA?
O Renato mostrou sabedoria nas suas composições; na música criou um tipo de composição única, onde não havia rimas, era uma mistura de rock com MPB.
As mensagens de amor, contra os preconceitos, de política, foram construtivas e atingiram a juventude da época e conquistaram a juventude atual.
Suas músicas são as primeiras a serem tocadas por diversos adolescentes.
O Renato era um sábio. Em crise, é claro, e talvez por isso tenha feito tanta coisa boa.

26 março 2010

FELIZ ANIVERSÁRIO, DANIEL.

DANIEL SOARES SIQUEIRA, PERNAMBUCANO, NASCIDO EM 26 DE MARÇO DE 1993. HOJE, VOCÊ COMPLETA 17 ANOS. DEZESSETE!!! TÁ QUASE "DE MAIOR"...

LEMBRA QUANDO VOCÊ ERA BEM PEQUENO? NÃO TIRAMOS FOTOS SUAS, QUANDO ERA PEQUENO, MAS TIRAMOS ANTES DE VOCÊ NASCER...



VOCÊ CRESCEU UM POUCO, MOROU EM TANTOS LUGARES, MAS VOCÊ PASSOU UM TEMPO BOM EM PORTO SEGURO, LEMBRA? ANTES DE IR PRA SANTA BÁRBARA...





AÍ VOCÊ FOI PARA SANTA BÁRBARA D´OESTE, AINDA MENINO, PRÉ ADOLESCENTE, COMO VOCÊ GOSTAVA DE FALAR. FOI UM TEMPO BOM E RUIM, CHEIO DE ALTOS E BAIXOS, COMO SEMPRE É E SERÁ, INDEPENDENTE DE QUALQUER COISA.





RESOLVEMOS MUDAR PARA FORTALEZA. COMO UMA DESPEDIDA, PODEMOS DIZER, VOCÊ SE FORMOU, OITAVA SÉRIE, COMEÇAVA O SEU FUTURO.




AÍ VOCÊ FOI PARA FORTALEZA.



AÍ VOCÊ COMEÇOU A SE TORNAR UM RAPAZ, UM HOMEM.




E AÍ, APARECERAM AS GAROTAS CEARENSES. AH, AS GAROTAS CEARENSES E TODA A SUA SIMPATIA.






E AGORA, FILHO, VOCÊ ESTÁ COMPLETANDO 17 ANOS.
EU SÓ POSSO TE DESEJAR TODA A FELICIDADE DO MUNDO. TENHO CERTEZA DE SEU SUCESSO, COMO EU JÁ TE DISSE MILHARES DE VEZES, DEDIQUE-SE, ESTUDE, E TERÁS TUDO QUE DESEJARES.

FELIZ ANIVERSÁRIO.

25 março 2010

MICRO-CONTOS

I

DO ORGASMO AO NASCIMENTO FORAM NOVE MESES.
DE FILHO A PAI FORAM 22 ANOS.
DE PAI A AVÔ, MAIS DEZOITO.
DO ORGASMO À MORTE FORAM EXATOS SETENTA ANOS.
JORGE MORREU FELIZ...

II

JORGE AMOU TANTAS MULHERES QUE QUANDO MORREU MAIS PARECIA UMA FESTA DO QUE UM VELÓRIO.
QUANDO ABRIRAM O TESTAMENTO, AÍ SIM ELE MORREU: NÃO DEIXOU NADA.
JORGE MORREU FELIZ...

III

JORGE AMOU SUA PRIMEIRA MULHER MAIS DO QUE A SEGUNDA, MAS AMOU A TERCEIRA MAIS DO QUE TODAS.
A QUARTA FOI SÓ PAIXÃO.
A QUINTA ERA APENAS LINDA.
A SEXTA O MATOU.
E FOI A ÚNICA QUE AMOU JORGE...

IV

JORGE SOFRIA DE INSÔNIA.
MAS, ELE APROVEITAVA A FALTA DE SONO E ESCREVIA.
A SUA INSÔNIA TINHA BOM GOSTO: ADORAVA O QUE ELE ESCREVIA.
JORGE NUNCA MAIS DORMIU.L
ESCREVEU DOZE LIVROS POR ANO.
QUANDO MORREU, TINHA OLHEIRAS.
MAS MORREU FELIZ...

V

JORGE PEGOU A MOCHILA, ENCHEU DE SONHOS E PARTIU.
EM CADA CIDADE PLANTAVA UMA SEMENTE.
EM CADA MULHER PLANTAVA UMA PAIXÃO.
QUANDO VOLTOU O MUNDO ESTAVA MAIS FLORIDO...

VI

JORGE NAMORAVA MARCELA.
JORGE TAMBÉM NAMORAVA JOANA.
JORGE TAMBÉM NAMORAVA REGINA.
JORGE FOI ESPANCADO PELAS TRÊS QUANDO FOI ENCONTRADO NO SHOPPING NAMORANDO SARA.
AS QUATRO ERAM AMIGAS...

VII

- ALÔ!
- OI.
- ESTOU INDO, COMO COMBINAMOS.
- PODE VIR.
QUANDO JORGE CHEGOU NA CASA DE JANICE ELA OLHOU PARA OS LADOS.
- CADÊ O CARRO?
- QUE CARRO?
- NÓS COMBINAMOS UMA VIAGEM PELO BRASIL.
- CLARO.
- E CADÊ O CARRO? VAMOS DE ÔNIBUS?
- NÃO! VAMOS ANDANDO.
- ANDANDO? VOCÊ É LOUCO!
- LOUCO, NÃO. SOU ANDARILHO...

AUTOR: JORGE LEITE DE SIQUEIRA
(TODOS OS DIREITOS RESERVADOS)

24 março 2010

COISAS SÉRIAS E CURIOSAS

De que é feita a água tônica ???

Água com gás, açúcar e hidrocloreto de quinino, um sal. Sal? Isso mesmo, o que diferencia a água tônica dos outros refrigerantes é justamente o sal, que dá aquele gostinho amargo característico da tônica. O quinino, que compõe o sal usado na bebida, é uma das substâncias ministradas no tratamento da malária, o que leva muita gente a acreditar que a tônica pode ser ingerida como remédio. Mas isso é um tremendo engano, porque, além de a quantidade de quinino na tônica ser pequena demais para ter propriedades farmacológicas - o refrigerante tem 5 miligramas por litro, enquanto no tratamento da malária usa-se 1,5 grama por dia -, o quinino do remédio apresenta-se em uma composição diferente - em sulfato ou cloridrato, enquanto na tônica é hidrocloreto. Por isso, não existem restrições para o consumo da bebida nem mesmo por gestantes - o sulfato de quinino tem propriedades abortivas. Mas nem sempre foi assim. De fato, a tônica surgiu como um remédio e, justamente pela propriedade revigorante da mistura de água com quinino, ela recebeu esse nome. A mistura surgiu na Índia e tornou-se popular graças aos ingleses que viviam por lá - a Índia era colônia inglesa - e levaram a fórmula para as fábricas de refrigerantes da sua terra natal. A bebida foi patenteada em Londres, em 1858.




Por que as balas de Menta deixam a boca "fria" ???

A refrescância de algumas balinhas vem da presença de substâncias como o mentol e o eucaliptol. Elas têm o poder de simular na boca a sensação de frio, tapeando os sensores da mucosa responsáveis por mandar a informação para o cérebro. Um processo semelhante ocorre com a pimenta, que estimula as terminações nervosas sensíveis ao calor. Nos dois casos, não há alteração da temperatura dentro da boca. Como as balas de menta deixam a mucosa mais sensível ao frio, a água em temperatura ambiente ou o próprio ar apenas parecem estar gelados. Em dias de calor e com a geladeira quebrada, chupe uma balinha de menta e tome água natural. Mesmo de mentirinha, vai ser bem refrescante.
Menta na boca dos outros...
Balas tapeiam cérebro e causam sensação de refresco
1. Na mucosa da boca há receptores especializados, que levam ao cérebro informações específicas, como frio, calor e dor, por meio dos neurônios. Para ir da boca até o sistema nervoso central, o estímulo passa por apenas três ou quatro neurônios
2. Como o neurônio é uma célula, sua extremidade é composta de membrana e citoplasma. É na membrana que se encontram estruturas parecidas com tubinhos, revestidas de uma proteína chamada TRPM 8, sensível ao frio
3. Esses tubinhos são como fechaduras: só se abrem com a "chave" certa (encontrada em substâncias frias). Ao beber algo gelado, as fechaduras se abrem e captam carga positiva do organismo. É esse dado que o neurônio envia ao cérebro
4. O primeiro neurônio passa a informação ao neurônio seguinte por meio de conexões químicas. Ao chegar ao cérebro, ele entende que se trata de frio, pois aprendeu desde cedo que esse tipo de neurônio só trabalha quando há mesmo algo frio
5. O mentol simula a ação do frio porque, quimicamente, tem uma cópia bem-feita da chave. Se sua concentração for pequena, porém, a abertura é parcial, não dando a total sensação de frio, mas deixando a boca sensível à temperatura ambiente
6. O mesmo ocorre com a pimenta, que estimula apenas os receptores de calor. Como também não há alteração da temperatura da boca, de nada adianta beber água gelada, pois os receptores de calor não a sentem. A água só alivia porque remove a pimenta.




O que é o glúten? Por que a embalagem dos alimentos avisa sobre a presença dele?
O glúten é uma proteína presente no trigo, no centeio, na aveia, no malte e na cevada. Ele é responsável, por exemplo, por dar maciez aos pães. O problema é que os portadores da chamada doença celíaca têm dificuldade em digeri-lo. Quando o glúten chega ao intestino dos celíacos, anticorpos impedem o órgão de absorver essa e outras proteínas – além de carboidratos, vitaminas, ferro e cálcio. Os nutrientes são eliminados pelas fezes e a pessoa fica com deficiências nutricionais graves. A doença é genética e o sintoma mais comum é uma diarréia crônica. “Uma vez constatada a doença, deve-se excluir da alimentação qualquer produto com glúten”, diz Vera Lúcia Sdepanian, chefe do Laboratório de Celíacos da Unifesp. Uma pesquisa de 2007 da Unifesp analisou o sangue de 3 mil pessoas e constatou que 1 em cada 214 indivíduos sofria da doença, um número alto. Por isso, a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) estabelece que os alimentos devem indicar na embalagem a presença ou não do glúten. A saída para os celíacos é comeralimentos com outros tipos de farinha, como a de mandioca, a de milho ou polvilho.


Como o milho vira pipoca?
Todo grão de milho tem três partes: o embrião, onde fica o material genético, o endocarpo e o pericarpo, compostos principalmente de amido e água. A diferença do milho de pipoca é que ele tem menos água (cerca de 14,5%) do que o milho verde e seu pericarpo tem uma casca quatro vezes mais resistente que a dos milhos que usamos para comer e fazer canjica Ao colocar a pipoca na panela ou no microondas, o calor faz com que a água de dentro do grão se transforme em vapor, que tenta sair e empurra a casca do pericarpo. Ao mesmo tempo, o amido, antes sólido, começa a virar uma espécie de gelatina, aumentando de tamanho. Somadas, a pressão do vapor d’água e do amido chegam a 10 kg/cm2, cinco vezes mais que a de um pneu de carro! A pressão é tanta que a casca estoura! Em contato com o ar, o amido gelatinizado se solidifica e se transforma na espuma branca que comemos. Quando o pericarpo tem rachaduras ou é pouco duro, o vapor d’água escapa, a pipoca não vinga e surge o piruá. Outro motivo para a pipoca não estourar é quando o grão tem água a mais ou a menos na composição


Existe sorvete que não derrete?
Parece coisa de cientista maluco, mas, em vez de derreter como os sorvetões comuns, o sorvete JELL-O, produzido pela rede americana Cold Stone Creamery, se transforma em pudim quando exposto ao calor! O produto - cuja receita é mantida em segredo pelos fabricantes - nasceu da combinação de ingredientes do sorvete com o de pudins (veja abaixo). "Não adicionamos nenhum outro ingrediente ou substância química para conseguir essa textura, única no mundo", diz o cientista de alimentos Ray Karam, um dos responsáveis pela novidade. Lançado em junho nos EUA, o sorvete "inderretível" só deve chegar ao Brasil quando for inaugurada a primeira loja da rede no país - as negociações começaram no início deste ano. Até lá, o jeito é chupar logo o seu sorvete ou continuar com a mão melecada!

1. Guardada a sete chaves pelos fabricantes, a receita do JELL-O é baseada na combinação de ingredientes usados na preparação de sorvetes comuns e de pudins, como ao adicionar partículas de gelatina ao creme
2. Depois de preparada, a mistura é colocada no freezer até adquirir a consistência cremosa característica dos sorvetes. É um processo similar ao da fabricação de gelatina caseira, que ganha sua textura final na geladeira
3. Exposto ao calor, em vez de derreter como os sorvetes convencionais, o JELL-O adquire a consistência gelatinosa de um pudim. O truque "antimelança" pode estar no uso de uma goma que faz com que a água do sorvete fique ligada aos demais ingredientes por mais tempo

Ventolate

Nos chocolates aerados, como o Suflair, a massa ainda líquida recebe uma injeção de gás carbônico ao ser colocada no molde. Em seguida, o chocolate é resfriado e a barra se solidifica, mantendo as bolhinhas no seu interior

Zé grudento

O truque do marshmallow é a combinação de goma- arábica, clara de ovo e gelatina amolecida em água quente, que, junto com outros ingredientes, são misturadas até ganharem aquela consistência grudenta

Molenga

A mistura de gelatina incolor com clara batida em neve também é o segredo da consistência fofinha da maria-mole. Polvilhado no doce depois de pronto, o coco ralado ajuda a evitar o gruda-gruda

Engomadinha

A presença de um agente colágeno - de origem animal ou vegetal - é o que dá a textura elástica das balas de goma, capazes de se "desamassar" mesmo depois de pressionadas nos dedos.




Como foram calculados o metro, o litro e o quilo?
Em 1789, cientistas franceses definiram o sistema métrico decimal. A primeira medida foi tirada a partir da distância da linha do Equador até o Polo Norte, em linha reta, passando por Paris. O comprimento do metro equivalia à essa distância dividida por 4 milhõesApós dez anos, o metro tomou forma como uma barra de platina. Porém, os cientistas notaram que os polos da Terra eram achatados e tiraram 1/4 de milímetro do metro. Em 1889, uma nova barra de platina e irídio - resistente à oxidação e à deformação por variações de temperatura - corrigiu a medidaA Terra não é uma referência imutável, e manter o metro oficial isolado numa redoma - com temperatura e pressão controladas para evitar deformações - não era nada prático. Por isso, em 1960, os físicos redefiniram o metro como comprimento de onda da luz emitida pelo gás criptônio das lâmpadas fluorescentesEm 1983, o criptônio perdeu o status de referência. Atualmente, o metro é definido pela velocidade da luz. Em resumo, a medida equivale ao comprimento do trajeto percorrido pela luz no vácuo,em um intervalo de aproximadamente 3 ,33 bilionésimos de segundoDo metro derivam unidades de comprimento longas e curtas, como o quilômetro - 1 000 metros - e o decímetro (dm) - um décimo de metro. Em 1789, também ficou definido que o litro é o volume que cabe em um decímetro cúbico (dm3) - medida equivalente a um cubo com lados de 1 dmO quilo equivale ao peso de 1 dm3 de água à temperatura de 4,44 ºC. A medida surgiu em 1789, e virou um cilindro de platina e irídio, cem anos depois. O intrigante é que o quilo oficial "emagreceu" - menos que o peso de um grão de açúcar, é verdade - e será trocado em 2010 por uma esfera de silício.



Se a água é formada por um combustível (H) e um comburente (O), como ela apaga o fogo
Na verdade, o hidrogênio e o oxigênio em suas formas atômicas - H e O - não têm propriedades de combustível e comburente. Essas propriedades pertencem às moléculas que eles formam: H2 e O2, respectivamente. Veja nos esquemas ao lado como simples alterações no rearranjo químico mudam as características desses dois elementos.

SEPARADOS ELES "PEGAM FOGO"

1. A combustão é uma reação de oxidação: uma substância perde elétrons para outra. Para ela ocorrer, é preciso ter um combustível (que pode ser o H2) e um comburente (como o O2). Se o combustível é o H2, ele perde elétrons que vão para o O2 durante a combustão

2. Com a troca de elétrons, as moléculas de H2 e O2 se recombinam e viram água na forma de vapor (2H2O), numa reação que gera bastante energia. O problema é que uma parte da energia não cabe nas moléculas de água. E essa sobra é justamente o fogo que a gente vê

JUNTOS ELES APAGAM

1. Por sua vez, a água (H2O) na forma líquida serve para apagar o fogo porque ela rouba calor da combustão. Sem calor, as reações químicas entre combustível e comburente não ocorrem, e o fogo deixa de ser formado

2. Além disso, ao roubar o calor da combustão, a água atinge uma temperatura suficiente para evaporar. O vapor d’água, então, se dispersa entre as moléculas de O2 do ar, dificultando o contato entre combustível e comburente e enfraquecendo ainda mais o fogo

ÁGUA OXIGENADA (H2O2) TAMBÉM APAGA O FOGO?

Pelo contrário: ela é um poderoso agente oxidante, o que a tornaria um ótimo comburente, como o O2 do ar. Ou seja, ela ajudaria outras substâncias a queimar. "O problema é que você teria que ter muita água oxigenada e pouco combustível para fazê-la agir como comburente, porque existe muito menos oxigênio (O) nela do que no ar", diz o professor Guintar Luciano Baugis, coordenador do curso de Química das Faculdades Oswaldo Cruz.

O QUE ACONTECERIA SE CHOVESSE TODA A ÁGUA DA ATMOSFERA?

Toda a superfície da Terra no nível do mar seria coberta por uma camada extra de 2,5 cm de água. Essa é a previsão de um relatório da Nasa, a agência espacial americana, que estima haver quase 13 trilhões de litros de água na atmosfera. Parece muito, mas isso representa só 0,001% do total do líquido no planeta.

É VERDADE QUE A ÁGUA PODE CONGELAR SÓ MUITO ABAIXO DE 0 ºC?

Sim. Uma água puríssima, sem outras moléculas misturadas, pode ser resfriada até cerca de -38 ºC sem virar gelo, num processo conhecido como supercooling. Isso acontece porque o gelo precisa de uma espécie de ponto de apoio para começar a se formar - como uma microscópica partícula de sujeira. Sem isso, o gelo só se forma em temperaturas extremas. O mais bizarro é que, nessas condições, o congelamento da água é quase instantâneo. Se você quiser conferir, dê uma busca no YouTube com as palavras "supercooled" e "water"!

A ÁGUA DE UMA PRIVADA É SEMPRE IMUNDA?

Nem sempre. Em 2006, uma menina de 12 anos da Flórida fez uma experiência para a feira de ciências da escola: ela coletou amostras de gelo de cinco redes de fast food e comparou com amostras de água das privadas dos mesmos restaurantes - após dar descargas, é claro. O material foi analisado na Universidade do Sul da Flórida. Resultado: em quatro dos restaurantes, a água da privada tinha menos bactérias que a água do gelo!

DÁ PARA MORRER DE TANTO BEBER ÁGUA?

Dá! Em 2007, uma mulher morreu nos EUA após um concurso para ver quem bebia mais água sem ir ao banheiro - ela tomou mais de 2 litros em poucas horas. A água tem eletrólitos, como o sódio (Na+), que ajudam os músculos e nervos a funcionar. Mas, com excesso de água circulando no corpo, os eletrólitos se dispersam e as células precisam absorver mais água para captá-los. Isso pode levá-las a explodir! O que é especialmente grave no cérebro.

ONDE HÁ MAIS ÁGUA NO PLANETA?

Cerca de 97% da água existente na Terra é encontrada nos oceanos. Nos míseros 3% restantes está toda a água potencialmente potável do planeta, distribuída das mais diferentes maneiras, da atmosfera às geleiras e rios. Veja como esses 3% de água fora dos mares se dividem:

A ÁGUA TEM MAIS DO QUE TRÊS ESTADOS FÍSICOS?

Bem mais. Segundo um estudo da Universidade de Boston, a água possui cinco fases líquidas e até 14 fases sólidas diferentes! Confira no termômetro alguns dos estados físicos da água dependendo da temperatura atingida:

A ÁGUA DA CHUVA SEMPRE CAI EM FORMA DE GOTA?

Na verdade, ela nunca cai em forma de gota... Em geral, a água da chuva tem formato esférico, que se altera dependendo do tamanho dela, como você vê aqui ao lado. A maioria das "gotas" de chuva tem diâmetro entre 1 e 2 mm, mas, no Brasil, já foram registradas por cientistas formações com até 10 mm em 2004.

QUANTO TEMPO A ÁGUA PERMANECE NAS NUVENS?

Cerca de dez dias. Esse é o tempo médio que uma molécula permanece na atmosfera durante o ciclo da água no planeta, lembra-se dele? Tomando os oceanos como ponto de partida, a água é aquecida pelo Sol, evapora e vai para a atmosfera. De lá, ela pode cair nos continentes em forma de neve - numa geleira, por exemplo - ou como chuva, seguindo para rios e lagos até desaguar de novo no mar.

POESIAS

1667 – DO BANHO PARA A VARANDA

É noite.
Da varanda
Vejo vaga-lumes
Que brincam no jardim
Escondendo-se nas flores...

Ela, no banho, me chama,
E promete uma surpresa
Se eu sair da rede...

Eu revido
E prometo uma melhor
Se ela vier pra rede...

Ela não resiste
E vem...

Nua como estava no banho...

1668 – DA VARANDA PARA UM SONHO

Da varanda
Sinto-me no céu
Deitado na rede
Ela ao meu lado
Apaixonado
Ouvindo o mar
Bem pertinho...

Um sonho?
Talvez...


1669 – DA VARANDA PARA A MADRUGADA

Da varanda
Vejo os primeiros raios de luz
De um novo dia...

O sol brilha sobre o mar
Amarelo, branco, ouro,
Pura magia...

Ela se encolhe ao meu lado
Sente frio
Abraça-se forte a mim
E dorme...

Realidade...

1670 – DA VARANDA PARA O AMOR

Da varanda
Escuto os pássaros na árvore
Brincam
Namoram...

É bela a canção da natureza...

Ela acorda
Aos poucos, devagarzinho,
E se aninha em meus braços
Feliz...

Eu te amo...


1671 – DA VARANDA PARA A PRAIA

Da varanda
Xícara de café na mão
O sol me atingindo na rede
E ela fazendo planos...

Meus planos são diferentes:
Quero agarrá-la
Quero beijá-la
Quero amá-la...

Mas, ela quer andar...

E vamos
Pela praia
Brincando
Como vaga-lumes
Como pássaros
Como crianças...


1672 – DA PRAIA PARA A VARANDA

Da praia
Para a varanda...

Bebo cerveja
Depois de um banho revigorador
Depois da longa caminhada
Depois do delicioso peixe na telha
Depois de um dia de paixão...

Na rede
Espero a noite
Que está por chegar
Já que o sol se põe
Amarelo, vermelho,
Ali, na praia,
Bem perto de mim...

Tudo vai recomeçar...


AUTOR: JORGE LEITE DE SIQUEIRA
(TODOS OS DIREITOS RESERVADOS)

23 março 2010

PIADA

Um sujeito está na fila da caixa no supermercado.

De repente, observa que uma loiraça lhe acena e lança um sorriso daqueles de cair o queixo. Ele deixa por momentos o carrinho das compras na fila, dirige-se à louraça e lhe diz suavemente:

- Desculpe, será que nos conhecemos?

Ela responde, sempre com aquele sorriso:

- Pode ser que eu esteja enganada, mas penso que o senhor é o pai de uma das minhas crianças...

O tipo põe-se imediatamente a vasculhar a memória e pensa na única vez em que foi infiel à esposa, perguntando de imediato à louraça:

- Não me diga que você é aquela stripper do puteiro da Zuleika, que depois de um show de sexo total com quatro caras, eu acabei comendo sobre uma mesa de bilhar, diante de todos os presentes, totalmente bêbado.

Resposta imediata da louraça:

- Bem.... acho que o senhor está equivocado... Sou a nova professora do seu filho!

22 março 2010

DOMINGO À NOITE OUVINDO HEAVY METAL

1652 – QUE DROGA!

O que isto tem a ver comigo?
Tudo está tao escuro à minha volta
E eu nem vejo o amanhã...

Socorro!

Cai em um buraco ainda mais escuro
E não sei o que vim fazer aqui...

Socorro!

Não sinto nada!
Não vejo nada!
Mas, sei qual será o meu fim...

Socorro!

Há alguém aí?
Alguém que pode me dar a mão?
Tirem-me daqui!
Quero sair dessa escuridão...

Socorro!


1653 – VIVENDO INTENSAMENTE

Agora, velho, não param de me comparar
Aos que já morreram
Aos que são próximos
Aos que estão bem velhos...

Eu não quero ser velho!
Eu quero ser vivo!

De que me adianta um dia a mais de vida?
Eu quero mais vida aos meus dias...

Quero viver dez anos em um...

Viver intensamente!
É o que quero...

Amar, sofrer, viver,
Intensamente
Todos os dias
Mesmo que sejam poucos...

- Olha que exemplo de vida!
Viveu duzentos anos!

Não!
Quero viver cinqüenta
Mas quero ter histórias para contar...

1654 – NÃO POSSO PARAR

Para onde estou indo?
Não sei
Não tenho a menor idéia
Nunca pensei nisso
Mas sei que estou certo
Que esse é o meu caminho...

Eu nunca paro
Sigo, todos os dias,
Passo a passo
Às vezes rápido
Às vezes devagar
Mas nunca me sento para descansar...

Sou igual uma bicicleta
Se parar, caio.
Então, sigo,
Andando, correndo,
Por que se parar
Podem me atropelar...


1655 – REENCARNAÇÃO

Eu já estive aqui, antes,
Eu tenho certeza.
Tantos rostos conhecidos
Mesmo vistos pela primeira vez...

E sei que voltarei outras vezes...

Não sou bom o suficiente
Para virar anjo...

1656 – O TEMPO NUNCA PÁRA

Coloquei a cadeira na calçada em frente à casa
E sentei-me
Observando o movimento...

Eu parei, mas o tempo não parou...

O sol se moveu
Choveu, fez sol,
Flores se abriram
Pássaros voaram...

Eu parei, mas o tempo não...

Levanta-te!
Chega de teorias...

1657 – O SORRISO DE JESUS

Jesus nunca sorriu.
Em nenhum lugar se fala do sorriso de Jesus...

Sofreu, foi humilhado,
Gritou, brigou,
Deu sermões, foi bondoso,
Fez milagres...

Mesmo bebendo vinho em festas
Jesus era sério...

E eu?
Devo sorrir por quê?
Eu não sou melhor que Jesus...

1658 – CAPAZ

Vamos lá, conjugue este verbo comigo:
Eu sou capaz
Você é capaz
Ela é capaz
Nós somos capazes
Eles são capazes...

Então, deixa de teorias e mãos à obra...


1659 – VONTADE

Somos todos iguais
Mesmo considerando as diferenças.
Chega de preconceitos...

A única diferença
É a vontade...

Eu quero!
E você?
O que faz?

Omite-se...

1660 – MEUS FILHOS

Meus meninos...

São homens
Mas, para os pais serão sempre garotos...

Rédeas nas mãos
Controlam suas vidas:
Amores, empregos, estudos,
Nada será do meu jeito
Será tudo como vocês quiserem...

Nós, pais, falamos, aconselhamos
Mas os resultados não serão nossos
Serão seus...

Nós produzimos
Mas as rédeas são suas
Assumam suas vidas
Terminem minha obra...

E que sejam feitas as suas vontades...


1661 – MULHERES

Mulheres.
O que são?
Passatempo, propriedade?
São tantas as alternativas...

Cada mulher, uma cabeça,
Algumas, por incrível que pareça, são machistas.
São empregadas
São prostitutas
São meros brinquedos...

Eu prefiro as verdadeiras
As que se conhecem
As que ensinam...

Eu prefiro as que têm personalidade
Que olhem nos olhos
E tenham pensamentos próprios...

Eu prefiro as mulheres, não as servas...

1662 – TEMPESTADES

Por que vou reclamar de minha vida?
Percebi que não devo
Que devo provar que sou capaz
E resolver os problemas...

Eu caio no campo
Eu sofro a falta
Eu cobro a infração
E cabeceio para fazer o gol...

Agora, mais do que nunca...


1663 – O CÉU

O que existe no céu?

Mar?
Animais?
Natureza?

O que existe no céu?
Deve ser um enorme coração...


1664 – A DOIS

A confusão vem a dois
O barulho vem a dois
A briga vem a dois
A guerra vem a dois...

Em compensação
A paz também vem a dois...


1665 – FREUD EXPLICA

Quando vês um televisor, pensas no cinema;
Quando vês um copo d’ água, pensas no mar;
Quando vês uma bicicleta, pensas na motocicleta...

Cuidado!
Procure tratamento...

Freud explica...



1666 – HOJE É O DIA

Hoje eu posso fazer alguma coisa!
Só hoje!
Amanhã eu posso amanhecer morto
E o que fiz ontem
Não tem mais conserto...

Então, devo fazer agora...

E você?
Aja...


AUTOR: JORGE LEITE DE SIQUEIRA
(TODOS OS DIREITOS RESERVADOS)

21 março 2010

MOMENTOS DE FILOSOFIA POÉTICA DO JORGE

1646 – DOIS ANOS

Dia de São José,
Dois anos que te conheço.
Pouco?
Muito?
Suficiente para tanto amor.
Dois anos
Intensos
Como nunca tive.
Obrigado.
Parabéns para mim...


1647 – PENSAMENTOS

Pensamos em vão
Iguais a balões
Apenas ar
E quanto mais cheios
Menos existem...

Pensamentos em vão
Iguais a buracos
E quanto maiores
Menos contém...

Tenha bons pensamentos...

1648 – PRESENÇA CONSTANTE

Hoje
Mesmo longe
Te sinto perto.
Estamos conseguindo superar a distância
Com uma presença diferente...

Vai dar tudo certo no final.
Acredito em nossos sorrisos...


1649 – APENAS A DOIS

Os livros na estante
Lembram-me objetivos
E planos feitos...

Ler muito mais
Estudar muito mais
Assistir muito mais filmes
Fazer academia
Esquecer o futebol...

Ficar rico?
Ser feliz?
Daqui a alguns anos apenas...


1650 – LUA CINZA

A lua aqui é diferente.
Esconde-se sempre
Por detrás de nuvens constantes
Tem medo da gente...

A lua prefere o mar.
Prefere as árvores
Do que essa selva de pedra...

A lua também é cinza
Nessa cidade cinza...


1651 – DEZ FLASHS DE UM SÁBADO À NOITE

UM

Por que preocupar?
Deixa a vida me levar.
É sempre a mesma coisa:
Hora marcada para isso
Hora marcada para aquilo...

Deixa rolar!

DOIS

Eu acho estranho:
As pessoas
Os sotaques
A cultura...

Tenho preconceitos...

Nego que tenha
Mas, tenho...

O que me alivia
É saber o que pensam de mim:
Eu também sou estranho...

TRÊS

As moedas tilintam no meu bolso.
É a riqueza
Chega, aos poucos,
E me lembra o Tio Patinhas...

Onde compro uma Caixa Forte?

QUATRO

O que você pensa quando me vê?
Normal?
Duvido...

Mas, acredite se quiser:
Ninguém é feliz como eu sou...

Tenho sorte!
Tenho tudo...

CINCO

“O meu pai era paulista.”
Meus filhos podem plagiar Chico.

“Meu avô pernambucano...”

Mas, eu, apenas eu,
Tenho um filho baiano
Tenho um filho mineiro
Tenho um filho pernambucano...

Mas, meu pai não era paulista...

SEIS

Quero te mostrar tudo:
A paz
A luz
A felicidade...

Mas, como mostrar-te o que não vejo?

Imitarei um cego.
Conheces libras?
Sabes ler em braile?

SETE

Tanto sol
Agora chuva.
Tanto calor
Agora frio.
São Paulo é tão estranho...

OITO

Estou esperando
Não sei o quê
Mas espero...

Espero:
Um terremoto
Um tsunami
Uma bomba explodir...

Não sei o que é
Apenas continuo sempre esperando...

NOVE

Eu sou estranho
Antes, eram os outros,
Agora, apenas eu sou diferente.
Sou a exceção...

O único estranho sou eu...

DEZ

Saio
Sempre à noite
Andando a esmo
Vou longe
Atravessando ruas
Seguindo até cansar...

Depois, volto...

A volta é rápida
Mais que a ida...

Às vezes, paro em um bar.
Vejo as pessoas
Escuto-as
Ouço a música
Mas, nunca me demoro...

Não me conhecem,
Não sabem meu nome...

Nem eu me conheço mais...

Apenas saio
E ando
Todas as noites
A esmo
Pelas ruas de São Paulo...


AUTOR: JORGE LEITE DE SIQUEIRA
(TODOS OS DIREITOS RESERVADOS)

19 março 2010

POESIA 1645 – PARTÍCULAS PARTICULARES

Parte 1
Minha crise dos quarenta
Continua até os quarenta e cinco.
Existe crise dos cinqüenta?
Se não existe, criá-la-ei...

Parte 2
O que te interessa saber da minha vida?
O que me interessa saber da sua?
Eu vôo.
Você apenas anda...

Parte 3
Tanto sonhei em acariciar seus cabelos
Tive-os tão perto
E deixei escapar
Como areia pelos dedos.
Preocupei-me com tudo
E me esquecei de te fazer feliz...

Hoje sinto saudades do cheiro de seus cabelos
Do toque de meus dedos
Pelo menos a lembrança na memória...

Mas, eu me esqueço de tudo...

Conselho:
Não perca tempo
Faça agora
Ame
Beije.
O tempo passa rápido demais para deixar o amor para amanhã...

Parte 4
Vem a noite
Nada fiz durante o dia
A não ser o obrigatório...

Daqui a pouco chega o dia
E tudo recomeça.
Um círculo vicioso
Onde me meti...

Suicídio social?

Parte 5
Estou péssimo!
Finjo estar bem.
A caneta e o caderno me ouvem
Escutam-me, letra a letra,
Traduzem para você o que eu falo
Mas também não entendem o que eu sinto...

Aliás, ninguém nunca vai entender...

Parte 6
O mundo é perfeito
Na mais louca ordem
Minha vida é uma perfeição louca, também.
Mas, não como o mundo
E sim, como o caos...

Parte 7
Não posso reclamar de nada nem de ninguém,
A não ser de mim mesmo...

Se estou assim
Se tudo está ruim
É só a mim que tenho que culpar...

Cadê tudo?
Cadê todos?
Filhos? Mulher? Cachorro?
Joguei tudo no lixo
Dei tudo para os outros...

E nem posso reclamar...

Parte 8
Passa um avião, escuto o barulho.
Deitado, aqui na cama, ouvi outros, também, que passaram.
Minha cama está na rota deles...

Peguem-me!
Levem-me!
Quero ver os ETs...

Parte 9
Tome calmante
Dois comprimidos
Produto natural...

Não fez efeito...

Tomei dorflex
Não sinto dores
Quero relaxar...

Não fez efeito...

Não consigo apagar.
Será o vinho que bebi?
Excesso de café?
Ou apenas pensamentos?

Quero dormir um pouco
Não me lembro da última noite que dormi bem.
Não me lembro de cinco horas de sono consecutivo que tive...

Meu anjo da guarda viaja demais...

Parte 10
Fecho os olhos
Vejo dois olhos chorando
Verdes, como os meus...

Eram os meus...

Parte 11
Outro avião!
Este estava baixo
Quase me pegou...

Pena que eu não pulei...

Parte 12
Eu podia ter nascido vampiro!
Pelo menos dormiria durante o dia...

Parte 13
Vou fechar os olhos
Vou dormir.
É quase uma da manhã...

Daqui a pouco preciso trabalhar...

AUTOR: JORGE LEITE DE SIQUEIRA

POESIA 1644 – MATUTANDO

Sou melhor do que já fui?
Ou sou pior?
As coisas que tive
Os empregos que deixei
As mulheres com que convivi
Fizeram-me bem?
Fiquei melhor?
Eu sou uma boa pessoa?
Mas, o que é ser uma boa pessoa?
Qual a diferença entre melhor e pior?
O que fiz da minha vida?
O que fiz para merecer o que tenho hoje?
Um cubículo mofado
Um emprego barulhento ridículo
A solidão.
Tudo por minha culpa
Resultados de meus atos
Ação e reação
Causa e conseqüência.
Qual o fim?
Rico?
Poderoso?
Suicídio?
Tiro na cabeça?
Onde vou parar?

Tudo recomeça
A inquietação
O tédio
O medo da solidão
O medo da rotina.
Por que sou assim?
Para onde vou, agora?
Onde vou morar?
Onde estarei daqui a ano?
Onde estarei daqui a dez anos?
Por que não sou normal?

Chegou a hora de parar!
Mas, parar como?
Não sei.
Só reconheço que a hora de parar chegou...

Parar para pensar
Parar para fazer
Parar para mudar...

Ou apenas parar com tudo...

AUTOR: JORGE LEITE DE SIQUEIRA

FILMES QUE ASSISTI

Eis mais alguns filmes que assisti ultimamente, depois que me mudei para São Paulo:

DIÁRIO PROIBIDO - É diário de uma ninfomaníaca. Precisa comentar? Bem feito, sensual, não é pornográfico, história legal. Sobra alguma coisa, falta alguma coisa. Em geral, bom filme.

VICK CRISTINA BARCELONA - Boa história.

O POETA - Achei que seria a história poética de uma pessoa. Podia ser melhor.

O LEITOR - Muito bom. Me surpreendeu.

PIADA: Solteira ou casada?

Uma mulher foi às compras em um supermercado perto de casa, onde pegou:
2 caixas de leite integral,
1 dúzia de ovos,
1 litro de suco de laranja,
1 alface americana,
1 kg. de café, e
1 pacote de bacon fatiado.

Enquanto ela passava as compras do carrinho para a esteira do caixa, um mineirinho bêbado, seguinte na fila, a observava.
Enquanto o caixa registrava as suas compras, o bêbado calmamente disse: Ocê deve sê sortera!
A mulher ficou um pouco espantada com a declaração, e intrigada com a intuição do bêbado, já que, de fato, era solteira.
Ela olhou os seis itens sobre a esteira e nada viu de particular em suas compras que pudesse sugerir ao bêbado seu estado civil.
Com a curiosidade aguçada, ela disse:
- O senhor está absolutamente correto. Mas como diabos conseguiu descobrir isso?
E o bêbado respondeu:
- É que ocê é feia pra caraaio!

18 março 2010

ALGUMAS POESIAS

1638 – NÃO SEI MAIS

Que estranho
Parece água
Mas é salgada...

E quanta areia!
Quem será que colocou aqui?
Devem estar construindo alguma coisa...

Que rio enorme!
Não é rio?
É mar?
Que nome estranho: mar.
Não sei o que é mar...

Não sei mais...

...

1639 – LIBERDADE

Você se amarra a mim
E pede que eu me afaste.
Como?
Solte-me, primeiro...

Quer que eu vá embora?
Liberte-me...

Se eu for, não volto mais.
Prometo-te.
Mas, você não quer...

Finge que sim
Mas nunca me solta
E se amarra mais
E nem me deixa respirar...

Seja mais verdadeira!
Seja você...

...

1640 – EU SEMPRE TE ESPERAREI

Tomei uma decisão: nunca serei sozinho!
Quero sempre alguém comigo
Preciso de alguém ao meu lado...

Outra decisão que tomei: vou te esperar!
Use o tempo que precisar
Seja um ano, sejam dez,
Fique à vontade.
Quando resolver que não me quer mais
Avise-me...

A minha decisão independe da sua...

Chamam isso de respeito
Ou de lealdade
Não sei o nome
Mas tenho certeza
Que é o resultado de nossa vida a dois...

Eu te espero e sempre esperarei...

...

1641 – NÍVEIS DE LOUCURA

Lendo os filósofos
Cheguei à conclusão
Que sou louco.
Não tão louco quanto eles
Mas, sou louco...

Discordo de alguns pontos de vista.
Mas quem sou eu para discordar deles?

És escravo? Não podes ser amigo.
És tirano? Não podes ter amigos...

Não é à toa que Nietzsche morreu louco...

Vou continuar lendo
Quero ver a que nível de loucura eu chegarei...

...

1642 – SIMPLICIDADE RURAL

Raiou o dia!
Acordo
Abro a janela da cozinha
Vejo as galinhas
Jogo milho no chão
Elas comem...

O pomar está bonito.
Há mangas quase maduras
Jacas exalando um cheiro maravilhoso
Bananas em cachos amarelos
Goiabas de vez...

Alguns pássaros cantam nas árvores
Borboletas brincam nas flores
Abelhas trabalham...

Eu, na janela, inspiro profundamente,
Respiro um ar puro de fazenda
E agradeço a Deus pela vida
E por tudo o que tenho...

Mesmo que seja tudo um sonho...


...

1643 – ZUMBI

Noite escura
Vejo o zumbi, ao longe,
Aponto a arma
Dou um tiro na barriga
Ele cai
Mas, levanta-se...

Ele não consegue falar, balbucia.
Ele não consegue correr, rasteja.
Ele não consegue amar, só dorme...

Zumbi
Resultado de misturas
Injeções profissionais
Escolhas pessoais
Que acabam com as forças...

Zumbi.
Ainda bem que o tempo passa
E daqui a pouco o filme acaba...

Zumbi.
Você vai melhorar...

AUTOR: JORGE LEITE DE SIQUEIRA 
(TODOS OS DIREITOS RESERVADOS)

16 março 2010

ÚLTIMOS FILMES QUE ASSISTI

GUERRA AO TERROR - prefiro Avatar (comparação inevitável). acho que é um filme bom para americano, que conta o "heroísmo" dos seus soldados. nada mais.

DISTRITO 9 - estranho filme. acho que a história é mal contada, mas contém um mistério legal.

O SEGREDO DE BEETHOVEN - muito legal. baixei a nona sinfonia pra ouvir, depois de ter assistido o filme. gosto desse estilo.

POESIA 1637 – DIÁLOGOS COM A SOLIDÃO III – PARTE FINAL

PARTE I

Nádegas
Bundas
Belas
Enormes.
Coxas também enormes
Para uma bela bunda:
Justiça...

PARTE II

A luz!
Você vê?
Eu vejo.
Acho que não é luz
É esperança...

PARTE III

Num segundo, aí,
No outro, aqui.
Num segundo, o fim,
No outro, a esperança.
Quem mudou?
Eu ou as circunstâncias?
Só sei que o amor é o mesmo...

PARTE IV

Sou náufrago numa selva
Numa selva de pedra
E bóio nas palavras que escrevo...

É o que me mantém vivo...

PARTE V

Os prédios coloridos
Abrigam vermes
Escória social
Que comem tudo que encontram
Com facas e revólveres nas mãos.
Os prédios
(predinhos para os mais íntimos)
Coloridos, tão belos,
Abrigam o horror social...

PARTE VI

As paredes que vejo todas as noites
Azuis
Viraram rotina.
Inclusive o cheiro de mofo.
Doze horas de trabalho sentado
É menos tedioso...

PARTE VII

Sonhei que era vaqueiro
E montava a lua, domando-a,
Que pulava, dava coices,
Selvagem.
Olho para cima
Vejo a lua cheia
Mansa
Completamente minha...

AUTOR: JORGE LEITE DE SIQUEIRA
(TODOS OS DIREITOS RESERVADOS)

15 março 2010

POESIA 1636 – DIÁLOGOS COM A SOLIDÃO II

PARTE I

Bocejo
Ordens do cérebro para dormir
Olhos ardem
Mas, temo o sono.
Será que amanhã acordo?
Será que amanhã acordo vivo?

PARTE II

Choros!
Temo o choro.
Temo o barulho.
Temo a multidão.
Descobri, agora, que também temo silêncio...

Não pelo que o silêncio é
Mas, sim, pelo que a sua falta representa...

PARTE III

O que é solidão?
Amor ou paixão?
Falta de ambos?
Falta de amor próprio?

PARTE IV

Saudades!
Vontade de te ver
De novo...

PARTE V

A terra cobre o oceano
Que cobre a terra
Que cobre o oceano.
The earth is on the ocean?

PARTE VI

Tolices
O que você me faz
Como me usa
Os seus planos.
Tudo são tolices...

Que me amadurecem
E perco a infância
Aos quarenta e cinco...

PARTE VII

O galo cantou
O cachorro latiu
O relógio bateu
É meia-noite
Domingo
Dia de depressão...

PARTE VIII

Em vão, digo-te palavras de meu amor por ti.
Em vão, digo-te palavras de minha adoração por ti.
Em vão, digo-te das minhas saudades.
Em vão.
Tudo em vão...

PARTE IX

Engraçado
Sorrio bastante durante o dia
Agradando meus clientes.
E sou tão trágico aqui, na solidão desse caderno...

Quem sou eu, afinal?
Este?
Aquele?
Quem sou eu, de verdade?

PARTE X

Sou sociopata...

PARTE XI

As gírias daqui são estranhas
O sotaque, não.
Querem ser bandidos no falar.
Mano, ser bandido é minha cara!
Da hora...

PARTE XII

Agarro-me a ti, medroso,
Agarro-me a ti.
Medroso, agarro-me às tuas pernas
Medroso, agarro-me às tuas coxas
Medroso, agarro-me à sua cintura.
Que gostoso ser medroso...

PARTE XIII

Fecho os olhos.
Assisto a um filme.
Sucessão de imagens que passam pelo meu cérebro
Numa seqüência inútil
Que não representa nada
Nem a história que invento que são.
Invento dentro de mim...

PARTE XIV

A senhora
De agulha nas mãos
Borda, noite adentro,
Cansada, dá pequenos cochilos.
Teimosa, não quer parar...

A senhora,
Minha mãe...

PARTE XV

As flores podem morrer
As árvores podem morrer
A natureza pode morrer.
Eu sou assassino quando jogo a garrafa na água?
Livre arbítrio.
Deus deveria ter instituído leis mais severas...

Pensando melhor, Ele instituiu a Pena de Morte.
Quando acabarmos com a natureza
Morreremos todos...

PARTE XVI

Estou bem, não tenho nada.
Nem dor de cabeça
Nem dor de barriga
Nem dinheiro
Nem bens
Nem amor.
Não tenho nada...

PARTE XVII

O meu time perdeu. O Santos.
Robinho não é imortal.
Neymar também não.
Hoje é dia de porco...

PARTE XVIII

E vai
E vem
E vai e vem.
Sexo?

PARTE XIX

Rotinas,
Repetições.
Overdose?
Não! Foi tédio...

PARTE XX

Estou por perto!
Grite!
Ligue!
Escreva!
Mas, você é tão muda quanto eu sou surdo...

PARTE XXI

Feijão e arroz, nós dois.
Um completa o outro?
Mas, o Teatro falou:
Estamos juntos só de passagem...

AUTOR: JORGE LEITE DE SIQUEIRA
(TODOS OS DIREITOS RESERVADOS)

ÚLTIMOS FILMES QUE ASSISTI:

AVATAR - maravilhoso, merecia todos os Oscars.

ANJOS E DEMÔNIOS - muito bom, mas, sei lá, é como se a gente soubesse o final.

DEU A LOUCA NA BRANCA DE NEVE - então, vamos falar do próximo.

WALL-E - utopicamente fantástico.

OS NORMAIS 2 - muito bom, ri bastante, mas espero que não tenha o 3.

X-MEN ORIGINS - WOLVERINE - fantástico, prende a atenção do início ao fim, conta uma história cheia de ação. pra quem curte os super-heróis marvel é imperdível.

SIM, SENHOR - Jim Carrey me levou a assistir esse filme. vou pensar melhor no próximo.

(FIQUEI BASTANTE TEMPO SEM ASSISTIR NADA. ESTOU RECUPERANDO, ASSISTINDO NOVOS E VELHOS. E LENDO BASTANTE. E OUVINDO MUITA MÚSICA. E TRABALHANDO. E VIVENDO. E ASSISTINDO ALGUNS EVENTOS.)

14 março 2010

DICAS

BELLE AND SEBASTIAN



SUPERTRAMP



QUEEN



ECHO AND BUNNYMEN



JANIS JOPLIN



RAUL SEIXAS

POESIA 1635 – DIÁGOGOS COM A SOLIDÃO

PARTE I

Joguei uma pedra no rio
A pedra afundou.
Era uma pedra amarela
Era um rio amarelo
E a pedra afundou.
Um peixe se desviou da pedra
E jogou água em mim.
Por que jogou a pedra em mim? – ele perguntou.
Eu me assustei
E acordei
Molhado
Na beira do rio...

PARTE II

A sombra encosta-se
Pede dinheiro, esmola, bebida,
Eu não dou
Nada sou.
Ela briga, grita, implora por bebida.
A sombra vai embora
E dorme tranqüila...

PARTE III

O suor de meu rosto ferve
Está quente
Quarenta e mil graus
Na sombra da noite
Aqui em São Paulo...

Daqui a pouco chove...

PARTE IV

Você me incomoda
A sua distância me incomoda
A sua presença me incomoda
Você é uma só?

PARTE V

Quando tudo se inicia
Começa o fim
O meio é tristeza
O meio é felicidade
Beijos e tapas
Céu e inferno.
E me pedem que decidam entre o bem e o mal...

PARTE VI

O casal passa na rua
De mãos dadas
Sorrindo
Fazendo-me inveja.
É triste ter alguém e não ter ao mesmo tempo...

PARTE VII

Uso bocas e corpos
Para te substituir
Mas não sinto o sabor que você tem
Não tenho prazer
Como tenho com você...

PARTE VIII

Café com leite
Arroz com feijão
Pão com manteiga.
A minha fome é você...

PARTE IX

Felicidade pela metade
Nem mentira nem verdade
Desigual na igualdade
E penso na fraternidade.
Amor ou lealdade?

PARTE X

O gato ronrona aos meus pés.
Quer ração.
Nada mais.
Se eu miar aos seus pés, ganho comida?

PARTE XI

O silêncio me assusta
Mais do que o barulho.
Maldita ansiedade.
O barulho virá, eu sei,
E virá com tudo
Como um tsunami
Ou um terremoto...

A insônia machuca
Mesmo em silêncio...

E acho os outros estranhos...

PARTE XII

Suas mentiras
Me jogam sementes na mente
E produz frutos
Que trazem ervas daninhas...

Você mente
Doces mentiras
Para me domesticar
Ou me manipular...

Não precisa tanto...

PARTE XIII

Grito: cuida de mim!
Bebo três cervejas
Atinjo o limite.
Grito: cuida de mim!
Abro a quarta cerveja
E fico fácil...

E pulo...

PARTE XIV

Vejo o azul mais azul
O colorido mais arco-íris.
Às vezes busco ao cinza.
Pode rir, mas é verdade...

PARTE XV

Acordes.
Acorde!
Abra os olhos e ouça
Abra os ouvidos e veja.
Acordes.
De violão...

Los Hermanos?

PARTE XVI

A alma livre
É bom
Não importa como.
O que importa é a liberdade...

PARTE XVII

Onde está o mar?
Esqueci do mar.
Quero dinheiro
Vou ficar rico
Mesmo que fique sem o mar...

PARTE XVIII

Vamos brincar?
Eu sou o médico
Você, a paciente.
Tire a roupa, vou te consultar...

Você está com frio ou feliz em me ver?
Onde colocar as roupas?
Ali, na cadeira, em cima das minhas...

PARTE XIX

Ouço passos na escada.
É você.
Está tarde.
Ouço passos, rápidos, é você.
Ansiosa por meus beijos...

PARTE XX

Não abra a caixa
Meu coração pode estar nela
Sem dono
Sem rumo
Suplicando ser achado...

PARTE XXI

O vizinho te dá bolo
Eu levo bolo.
Ele te dá bolo no colo
Eu? Me isolo.
Angústia, impotência...

Um dia crio asas
E te pego
E te levo pro céu...

Vou te ver. Vôo pra te ver...

PARTE XXII

Folhas viram
Olhos viram
Não me viram.
Me ouviram...

Não conhecem minha voz
E eu fujo, pelas sombras noturnas.
Sou suspeito
Por desejar a mulher do próximo...

PARTE XXIII

Eu sou eu
Mas cismo em ser outro
O que já fui
Já descartado
Jurássico
Que não se enquadra
Nessa modernidade...

Sou um robô jurássico
Com coração poético
Numa selva de pedras...

PARTE XXIV

O segredo
É não ter segredo
É ser sincero.
Omitir, sim.
Mentir, jamais...

PARTE XXV

A noite traz segredos
Tão secretos
Que nem eu os conheço...

PARTE XXVI

Quando vejo seus olhos
Paro nas pupilas
Não consigo te invadir
E não leio tua alma...

Você me bloqueia!

Seu anjo da guarda é mais forte que o meu.
Mas, continuo tentando.
Olhe em meus olhos...

PARTE XXVII

Respiro, então vivo.
Respiro, então penso em você.
Vivo, penso em você.
Penso em você, sou vivo...

PARTE XXVIII

Acredito em mentiras
Porque quero
E te faz bem...

Acredito! Porque me convém...

PARTE XXIX

O seu corpo na cama
Inerte, mas vivo,
Cansado.
Espera o despertador
Para começar outro dia.
Eu também espero
Mas, o despertador nunca toca.
Eu nunca coloco para despertar...

PARTE XXX

Tiro a armadura
Recebo flechadas
E tiros a queima roupa...

Fidelidade?
Quem inventou isso?

PARTE XXXI

A nuvem me persegue
Mas, sou levado pelo vento
Seguindo a nuvem.
Quem leva quem?
Como chover e me desmanchar?

PARTE XXXII

Adoro desencarnar menininhos.
Mentalmente, claro.
Adoro.
Nem todos, só alguns.
Principalmente aqueles que me acordam...

Vinde a mim as criancinhas...

PARTE XXXIII

Música urbana.
Romântico, te beijo,
Rock and roll, asfalto,
Funk, clientes,
Forró, vizinhos…

Eu só queria uma antena, um carrinho de pipoca, o grito da polícia...

...

AUTOR: JORGE LEITE DE SIQUEIRA
(TODOS OS DIREITOS RESERVADOS)

13 março 2010

POESIA 1634 – MORRER DE AMOR



É melhor morrer de amor ou viver em paz?
Viver é sempre melhor que morrer, mesmo que por amor?
Incoerências, contradições, pontos de vista...

Morrer...?

E me encontrar com Mário Quintana
Que me contaria de seus amores secretos
E me falaria de suas paixões
E me confidenciaria aquela poesia que nunca foi escrita...

E me encontrar com Vinícius de Moraes
Que declamaria sua última criação
E me ensinaria a amar a apenas uma mulher
Uma de cada vez...

E me encontrar com Raul Seixas
Que me convenceria que minha metamorfose é normal
E me ensinaria a ser louco também
Conforme a sua filosofia de vida...

E me encontrar com Drummond, e Cazuza, e Renato Russo,
E todos os poetas brasileiros
E todos os poetas estrangeiros
E todos os poetas que jamais imaginei encontrar...

Ou viver...?

E escrever os meus pensamentos
E descrever as minhas dúvidas
E conviver as minhas preocupações...

E ver olhos
E sentir cheiros
E amar
E morrer de amor...

É melhor morrer de amor ou viver em paz?

AUTOR: JORGE LEITE DE SIQUEIRA
(TODOS OS DIREITOS RESERVADOS)

11 março 2010

POESIA 1633 – PENSEI QUE ERA VOCÊ



Aí eu vi a moça
Que se aproximava rapidamente
Dentre centenas de pessoas no centro da capital.
Eu sorri, preparei-me para cumprimentá-la
E só então percebi o engano...

Pensei que era você. Mas, não era...

Estava na festa
Eu vi a moça sentada, de costas,
Os cabelos iguais,
O modo que mexia as mãos também.
Eu me aproximei, coloquei as mãos em seus olhos
E mandei adivinhar quem era.
Que mico que eu passei...

Pensei que era você. Mas, não era...

Praia, já era tarde, fazia muito calor,
Eu bebi algumas cervejas
De repente vi a moça
Só de biquíni, lá longe,
Fui até ela
E a abracei.
Não sei se foi a cerveja...

Pensei que era você. Mas, não era...

Acordei. Sete horas.
A noite foi louca, muita bebida,
Encontrei a moça da minha vida.
Fomos para meu apartamento
Beijamos muito, fizemos sexo, e a noite passou rápido.
Tão rápido que eu nem vi.
Agora, ela está aqui, deitada ao meu lado.
Olho seus cabelos, seus lábios...

Opa!
Não parecem os lábios que eu beijei ontem à noite.
Acho que aconteceu alguma coisa...

Pensei que tinha dormido com você. Mas, não era...

AUTOR: JORGE LEITE DE SIQUEIRA
(TODOS OS DIREITOS RESERVADOS)

FILMES PARA ASSISTIR

Comprei alguns filmes que pretendo assistir nos próximos dias. São eles:

1. Avatar
2. Santos Justiceiros 2
3. Perigo em Bangkok
4. Código de Conduta
5. Acerto de Contas
6. O Guardião
7. Substitutos
8. Diamante de Sangue
9. Distrito 9
10. G. I. Joe
11. O Grande Desafio
12. Guerra ao Terror
13. Harry Potter (todos os 6 filmes - nunca assisti nenhum)

10 março 2010

POESIA 1632 – O PRIMEIRO BEIJO



O homem beijou a mulher.
A mulher beijou o homem.
Tanto faz,
A ordem não altera o fato...

E foi um beijo casto
Um beijo puro
Um beijo doce...

A malícia estava nas mãos
Que exploraram costas
E cabelos
E braços
E o respeito do lugar...

Era tudo proibido.
E, proibido como era,
Foi rápido...

E prazeroso...

Foi o primeiro beijo deles.
Tantos outros vieram
Tantos outros demoraram mais...

E outros, e outros, e outros...

Mas, nunca mais houve um beijo como o primeiro: puro, doce, casto.
Angelical...

AUTOR: JORGE LEITE DE SIQUEIRA
(TODOS OS DIREITOS RESERVADOS)

POESIA 1631 – ENTENDI A FELICIDADE

Tanto reclamei
Tanto cobrei
Tanto busquei
Que encontrei a felicidade...

Bem, não é bem assim, mas, vejamos...

Dizem que felicidade não existe!
Dizem que o que existe são momentos felizes!
Então, aprendi a perceber esses momentos em minha vida...

Agora consigo olhar as coisas e ver seus brilhos
Agora consigo sentir o milagre da natureza
Agora consigo tocar na vida dos seres vivos...

Se é Cósmico ou sobrenatural eu não sei
Mas comecei a sorrir.
Vejo o lado positivo
Sinto o lado negativo também
Mas valorizo apenas o que acho bom...

E passei a sorrir, acredite!

Sei que parece demagogia
Mas, a quem estou querendo convencer?
A ninguém.
É apenas uma notícia geral
Uma mensagem ao cósmico
Uma informação divina:
Não encontrei a felicidade
Mas, passei a compreendê-la...

AUTOR: JORGE LEITE DE SIQUEIRA
(TODOS OS DIREITOS RESERVADOS)

POESIA 1630 – OS MACAQUINHOS

Tão belos, os macaquinhos.
O mais novo pula
Corre, cai, levanta,
Sobe no muro, sobe na árvore,
Desce...

O mais velho pula,
Corre, cai, levanta,
Sobe no muro, sobe na árvore,
Desce...

E bate no mais novo...

Gritam, pulam ainda mais,
Atrapalham mamãe macaca que varre.
Jogam o lixo com os pés
Derrubam coisas...

Eita, macaquinhos sapecas...

Correm, pulam, sobem na casa,
Fazem a maior algazarra,
E gritam, chamando mamãe macaca:
- Inha! Mainha! Mainha! Inha!
E mamãe finge nem ver...

E nem estou no zoológico...

AUTOR: JORGE LEITE DE SIQUEIRA
(TODOS OS DIREITOS RESERVADOS)

07 março 2010

POESIA 1629 – VAMOS ALI?

E aí, tudo bem?
Vamos ali?
A gente pode beber alguma coisa, um vinho, sei lá,
Pode ser uma cerveja, mas está frio.
Eu prefiro um vinho, ou uma vodka,
Até uma cachaça cai bem...

Você não quer beber?
Ah, se não beber não tem graça.
Como vamos passar uma noite inteira juntos sem beber?
Ainda são onze horas
Deixa de coisa e vamos beber alguma coisa...

Senta aí!
Duas cachaças!
Olha, vou ser sincero, estou duro, sem grana,
Você me empresta dez reais para pagar a bebida?
Não tem também?
Tudo bem, eu pago, tenho umas moedas...

Vamos embora?
Já bebi minha cota.
Não cota de bebida,
Cota de dinheiro.
Não tenho grana
E hoje não vou mendigar bebidas...

Hoje quero você!
Gostou, hein!
Sorriu.
Ninguém é tão romântico assim com você?
Eu fui o primeiro?
Que legal.
Você mora nas ruas, né?
Eu já te vi outras vezes carregando aquele carrinho...

Sabe, estou apaixonado por você.
Mas, só hoje.
Amanhã?
Não vamos pensar no amanhã.
Vem cá!
Me dá um beijo
E deixa o mundo acabar...

AUTOR: JORGE LEITE DE SIQUEIRA
(TODOS OS DIREITOS RESERVADOS)

POESIA 1628 – DE VERDADE? EU TE AMO!

Eu te amo!
É verdade!
Mas você não acredita
Diz que falo para todas
Que sou mentiroso...

Eu te amo!
E amo a todas.
Cada uma de uma forma,
Cada uma com um amor diferente...

Mas o amor que sinto por você é único
É o maior
É um amor de companheirismo
De cumplicidade
De eternidade...

Entende?
Não estou mentindo!
É uma coisa diferente
Única e constante
Momentânea e eterna
Gotas e oceano
Um grão de areia e todo o deserto...

Eu te amo aos poucos
Para que você não se acostume e ache que acabou.
Eu te amo hoje
E sei que te amarei amanhã.
Eu te amo agora...

As outras?
O que sobrar do amor que sinto por você eu divido pelas outras.
Pode ser?
Eu te amo tanto que amo tão pouco todas as outras juntas...

AUTOR: JORGE LEITE DE SIQUEIRA
(TODOS OS DIREITOS RESERVADOS)

EU. 7 DE MARÇO DE 2010




06 março 2010

POESIA 1627 – DIARIAMENTE

Acordo.
Não quero abrir os olhos, mas abro.
Meu quarto está escuro.
Lá fora o dia já raiou há horas.
Está frio, chove uma chuva fina,
Que bate no meu telhado
E me dá sono.
Deve ser psicológico...

Pareço um rato de laboratório...

Eu me levanto.
Quase sem roupa ando pelo quarto
Arrasto-me até o banheiro
Onde urino, tomo banho, escovo os dentes,
Não necessariamente nessa ordem...

Mais acordado, enxugo-me.
Visto roupas obrigatórias
Odeiam-me pela minha vestimenta ridícula e fora de moda...

Minha mãe conversa comigo.
Ouço o que ela fala
Não decoro, não consigo,
E ela fala, e fala, e fala...

Adoro a minha mãe, mesmo que ela fale e fale e fale...

Bebo café com um pingo de leite
Como um pão francês feito em São Paulo
Leio folhetos em cima da mesa
Folheio a revista da Avon...

Tem até umas sandálias legais.
Não. Não quero, mãe! Não...

Abro a locadora
Que de locadora não tem nada.
Aliás, tem sim: eu alugo jogos por hora.
E vendo jogos alternativos...

Ê, vida de gado...

Já são dez horas
O primeiro freguês chega
Pequenino, dez anos, ou menos, sei lá,
E me dá moedas...

Vendo jogos,
O tempo passa.
Alugo games,
O tempo passa.
Converso no MSN,
O tempo passa.
Leio Dostoievski,
O tempo passa.
Vivo,
E o tempo continua passando...

Estou muito bem.
Nunca estive melhor.
Acho que o sobrenatural tem a ver.
As minhas resoluções mudaram...

Estou decidido a ser feliz!
E quero ser rápido
E ter os pés no chão...

Impossível?
Não estou fazendo poesia
Estou sendo verdadeiro...

Tomei tantas decisões erradas nos últimos anos
Estraguei a minha vida
Fiz muita confusão
Sou uma ovelha negra...

Bode preto?
Tudo bem, para mim tanto faz...

Agora vou consertar minha vida.
Quero dar valor, em primeiro lugar, ao que consegui.
Eu conheço muitos lugares
Viajei bastante...

Sabe, não conheço alguém que tenha feito o mesmo.
Quer dizer, louco como eu fui.
Ceará, Pernambuco, Rio Grande do Norte, Bahia.
Adoro o Nordeste...

Pode rir, pode rir.
Eu sei que você vai falar: “E quem não adora?”
Eu adoro o Nordeste
E já morei lá diversas vezes...

Você já morou?
Viu como levo vantagem?

Agora, estou no frio.
Bastante frio.
Daqui a uns dias vou enjoar de tanto frio.
Mas, agora está gostoso...

Parece que ligaram o ar condicionado no mundo...

A noite vai chegando.
Os sons dos televisores me enchem o cérebro
A narração de Galvão Bueno é uma praga.
Malditos jogos piratas...

Estou feliz!
Acho que a crise que tive esta semana foi boa.
Pensei demais.
Eu me encontrei.
Pensei tanto que quase enlouqueci
Mas, foi bom...

Sou mais eu.
Agora, sou mais eu.
Tudo vai acabar bem...

Ou melhor, agora, tudo vai caminhar bem.
Esqueça o final...

AUTOR: JORGE LEITE DE SIQUEIRA
(TODOS OS DIREITOS RESERVADOS)

Dez mitos sobre dietas

Muitos mitos você com certeza já deve ter ouvido e talvez até possa acreditar, mas o fato é que não correspondem à realidade. Aqui vão ...